Guarda compartilhada de cachorros

Guarda compartilhada de cachorros: Existe? Como é feita? Quais a regras?

Quando chega o momento de separação de um casal, o maior problema enfrentado é sobre a guarda dos filhos. Se o casal não possui filhos, mas possui algum animal de estimação, como cachorro ou gato, e ambos possuem afeto pelo bichinho, esse também se torna um outro grande problema.  Afinal, se os dois adotaram o cachorro depois de estarem juntos e os dois gostam do animal, como entrar em um acordo?  Existe Guarda compartilhada de cachorros ? Nesse texto você irá tirar todas as suas dúvidas sobre esse assunto que é pouco falado. 

Existe guarda compartilhada de cachorros? 

Esse é um assunto muito pouco comentado e pouco gente sabe disso, mas existe uma lei que protege o cachorro e garante que as duas partes entrem em um acordo. Para a justiça, o cachorro é considerado um bem material, por pior que isso possa parecer, é verdade, o seu cachorro não é como o seu filhinho nos olhos das autoridades judiciais.  

Quando um casal se separa, principalmente, se a separação não for em um bom acordo entre ambos, ficar com o cachorrinho pode se tornar uma guerra. Um lado pode não querer ceder e começar toda aquela tempestade. Bom, mas a boa notícia é que existe uma solução para isso e tudo pode ser negociado perante a lei.  

A guarda compartilhada de cachorros e outros animais de estimação foi instituída em 2010, no Brasil, devido ao alto indicie de divórcio nos últimos anos.  A guarda compartilhada faz parte do Projeto de Lei 7196/10, de autoria do Deputado Márcio França (PSBSP), que exige a comprovação de quem, de fato, é o dono do cachorro.  

Guarda compartilhada de cachorros

Como é feita? 

O dono deve apresentar ao juiz um documento válido, como a nota fiscal de compra do animal ou algum registro.  Como tudo que envolve a justiça, essa parte é bem burocrática, mas é extremamente importante para assegurar uma justa divisão e que a justiça não tome uma decisão subjetiva.  

E se o casal não puder provar por meio de documentação quem é o dono do cachorro? Para isso, a guarda unilateral é a única solução.   O juiz irá analisar qual dos dois possui maior ligação afetiva com o cachorro, qual possui um ambiente com melhores condições para o animal e qual tem mais tempo para passar com ele.  

Porém, existem diversos ex-casais que não precisam entrar na justiça para chegar a um acordo de guarda compartilhada de cachorros.  Os próprios entram em um acordo de dividir o cão por número de dias.  Essa é a maneira mais sensata que o casal pode ter de compartilhar o cãozinho, o animal irá sofrer menos porque terá a companhia dos dois.  

Outro fator que deve ser levado em consideração são os custos que o animal gera, gastos com comida, vacinas, petshop. Se o cão foi adquirido pelos dois, nada mais justos que os dois continuem a arcar com as despesas.  

Além do mais, as mudanças não são um procedimento complicado apenas para os seres humanos, os animais também percebem e sofrem os efeitos das mudanças. O cãozinho irá estranhar o novo território e o novo estilo de vida sem um dos donos. Por isso, é muito importante que o casal tenha maturidade durante essa decisão. Deixem as indiferenças à parte e pensem no cãozinho. 

Guarda compartilhada de cachorros

Quais as regras da guarda compartilhada de cachorros?

As regras são essas, se o casal se separar agressivamente e um não desejar ver mais o outro, o cachorro irá ficar com quem conseguir comprovar na justiça ser o dono oficial do bicho. Ou o casal deve entrar em um acordo e cada um ficar com o cachorro durante alguns dias da semana.  

A guarda compartilhada de cachorros depende muito de como foi a separação do casal. Há casais que se separam e se tornam inimigos mortais, nesse caso, é só a justiça que irá determinar a guarda do animal, mas há casais que se separam numa boa e a guarda compartilhada do cachorro fica em um acordo. 

Se você está passando por esse processo de guarda compartilhada de cachorro, tenha uma coisa em mente.  O cachorro é irracional, ele não entende a guarda compartilhada. Quando ele deixa de conviver com um dos donos, ele pode ficar depressivo, por isso, é bom que ele sempre veja o outro do dono, a não ser, é claro, que não haja interesse da outra parte.  

Gostou das nossas informações sobre guarda compartilhada de cachorros? Este post te ajudou de alguma maneira? Deixe seu comentário!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *