Sacrificar um gato: Quando é necessário recorrer a eutanásia?

Decidir se a vida de alguém vai ou não continuar, é uma das decisões mais difíceis do mundo. Isso se torna extremamente complicado quando é a vida do seu gato envolvido. O medo de estar errada, o sentimento todo envolvido pelo bichano, tudo isso faz com que não seja nada fácil ter a completa certeza se a decisão é a correta. A dúvida ronda de quando é necessário sacrificar um gato. E apesar da orientação dos veterinários, a única pessoa que poderá dar o aval final é você, dono do felino. Então é preciso pesar os lados, se colocar no lugar do gato e pensar na qualidade de vida dele.

Quando é necessário sacrificar um gato?

Há alguns diagnósticos certeiros em que a eutanásia é indicada. Mas o ideal é que cada caso seja avaliado de forma individual, em uma conversa do dono com o veterinário. Afinal, cada vida tem seus hábitos, seus sentimentos, suas possibilidades. Em geral, é indicado o sacrifício do gato, nos casos:

  • Quando o gato não movimenta mais nenhuma pata;
  • Quando o gato tem ferimentos gravíssimos e de recuperação quase impossível;
  • Quando o gato parou de fazer as necessidades fisiológicas, se alimentar e beber água;
  • Quando o gato tem câncer em estágio severo.

Além dessas indicações, o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) fez um guia para auxiliar tutores e veterinários na hora da decisão. O guia traz boas práticas sempre pensando que os animais são capazes de sentir, interpretar e responder a estímulos dolorosos. Desta forma, o guia orienta os envolvidos na tomada da decisão e qual o método. São alguns dos pontos do guia que dizem quando é necessário sacrificar um gato:

  • Se o bem-estar do animal estiver comprometido de forma irreversível, sem possibilidade de controle por analgésicos ou sedativos;
  • A condição do animal for uma ameaça à saúde pública (se estiver com raiva, por exemplo);
  • O animal doente colocar em risco outros animais ou o meio ambiente;
  • O animal for objeto de ensino ou pesquisa;
  • O animal representar custos incompatíveis com a atividade produtiva a que se destina (animais destinados ao consumo humano, por exemplo) ou com os recursos financeiros do proprietário (aí entra o caso das entidades protetoras ou hospitais veterinários).

Dicas para ajudar na decisão de sacrificar um gato

A decisão nunca se torna mais simples, mas alguns fatores podem ajudar a você tomar a iniciativa correta e com mais calma.

Consulte mais de um veterinário

Mesmo que o veterinário consultado seja de confiança, não custa olhar uma segunda opinião. Isso ajuda até para a sua decisão, pois um fato confirmado por duas pessoas dá mais segurança para o dono optar pelo caminho correto.

Pesquise métodos

A internet tem muita coisa boba, mas também tem muito material de ajuda. Se jogue online e busque casos semelhantes, pesquisas novas, remédios, etc que possam ajudar a reverter o quadro do seu gato. Uma boa opção também é pesquisar no exterior, onde os medicamentos mais modernos estão surgindo e curando doenças antes tidas como incuráveis.

Decida com calma e procure ajuda da família

Para sua decisão, opte conversar com os membros da sua família que também têm o apego ao gato como você. Procure conversar também com outras pessoas que conhecem o bichano mas não são tão próximos, para ter uma opinião mais de fora e sem sentimentos. Todos devem estar preparados e devem se unir para apoiarem um o outro nesse momento. Uma opção para lidar com isso é participar de grupos de aconselhamento e apoio a perda do animal de estimação ou um psicólogo para a família.

 

Responda a algumas perguntas para si mesmo

Algumas questões para si próprio podem ajudar na hora da decisão, como:

  • Seu gato é capaz de desfrutar de sua companhia? Seu gato tem mais boas horas no dia ou mais horas passando mal?
  • Seu gato de estimação ainda é capaz de comer e descansar adequadamente?
  • Você pode ajustar a sua casa para atender às necessidades do seu pet para que ele se sinta confortável?
  • Você pode manter seu pet livre de dor?
  • Você tem os recursos físicos, financeiros e emocionais que você precisa para cuidar de seu gato doente?

No caso da maioria das respostas forem não, o sacrifício talvez realmente seja a melhor opção para livrar o seu gato do sofrimento. Mas no caso de responder sim para duas ou mais, é possível procurar alguns métodos que ajudem o seu gato a ter uma vida adaptada mas com qualidade.

 

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *