Skip to content

Cinomose: O que fazer para proteger seu cão desse mal

janeiro 15, 2016
cinomose

Os cachorros, assim como nós, estão vulneráveis a contrair doenças, e algumas podem ser muito graves, como é o caso da Cinomose. Por isso, é fundamental levar os cães, principalmente quando filhotes, às consultas no veterinário e dar todas as vacinas – que é a melhor forma de evitar essas doenças.

Veja abaixo o que é a Cinomose, uma doença grave que pode levar o cachorro à óbito em pouco tempo. E não se esqueça: Cuide bem do seu animal e previna-se de perder o seu amigão precocemente, proteja-o sempre para prevenir possíveis ameaças saúde dele.

O que é Cinomose?

A Cinomose é uma doença muito grave e altamente contagiosa, que atinge os cães, frequentemente levando ao óbito. Ela é provocada pelo vírus CDV (Canine Distemper Virus) ou Vírus da Cinomose Canina (VCC, também conhecido como Vírus da Esgana Canina).

A cinomose possui uma evolução bastante rápida – cerca de uma semana após a contaminação os primeiros sintomas já podem ser sentidos. A doença evolui tão rápido, que as chances de cura são muito pequenas. Por isso a importância de levar o animal o mais rápido possível ao veterinário, ao notar os primeiros sintomas.

Como ocorre a transmissão da Cinomose?

A transmissão é feita pelo contato do animal infectado com outro que esteja saudável, por meio de secreções do nariz, boca e pelo contato com as fezes. Esse vírus é tão perigoso, que alguns animais podem pegar cinomose após serem introduzidos em ambientes onde outros cães tenham morrido anteriormente com a doença, nos últimos seis meses.

Todas as raças estão suscetíveis a essa doença, e alguns estudos apontam que há algumas mais sensíveis ao vírus – como Husky, Greyhound, Samoieda e Malamute do Alaska. Uma forma comum de contaminação ocorre nos canis, onde estão vários animais juntos, inclusive alguns doentes com outros saudáveis que ainda não foram vacinados.

Como é o tratamento da Cinomose?

Infelizmente não existe um tratamento específico para a cinomose. O que pode ser feito é utilizar medicamentos para controlar os efeitos da doença e diminuir o sofrimento do cão.

O cachorro deve ser isolado para tomar os antibióticos e combater as infecções secundárias. É importante que o animal seja mantido em um ambiente limpo, com temperatura agradável e alimentação correta de acordo com as indicações do veterinário.

Os filhotes raramente conseguem se recuperar, pois nessa fase a imunidade deles é mais baixa, já os adultos têm maiores chances de sobreviver. Não há um medicamento específico para a cinomose, mas poderão ser administrados vitaminas, antibióticos e anticorpos prontos para diminuir os sintomas.

Quais os sintomas da Cinomose?

Um sintoma bem característico da Cinomose é a contração involuntária dos músculos do animal.

Além disso, podem ocorrer vários outros, como diarréia, febre, espirros, perda de apetite, falta de energia para fazer as coisas mais simples, convulsões, falta de coordenação motora, secreções nasais, infecções diversas, lesões ósseas, alterações no esmalte dentário do cão, espasmos musculares, tiques nervosos, convulsões, pupilas dilatadas, abortos e partos prematuros em cadelas gestantes, secreção ocular, e em casos mais graves meningite, paraplegia, tetraplegia e óbito.

Se caso algum desses sinais surgir, leve seu animal imediatamente ao médico veterinário. Quanto antes essa doença for diagnosticada e o tratamento começar, maior será a chance dele viver. Nunca medique o seu animal em casa sem antes saber o que está acontecendo com ele.

Cinomose tem cura?

Sim, a cinomose tem cura, embora seja muito difícil. A cura vai depender muito da reação do animal ao tratamento que ele recebia antes de contrair a doença. Um animal alimentado com ração de qualidade acaba tendo mais resistência para lutar contra a doença.

Muitos cães que sobrevivem podem ter seqüelas neurológicas e acabam morrendo por causa dessas sequelas. Uma técnica com células-tronco está sendo desenvolvida no Centro Universitário Fundação de Ensino Octávio Basto situada na cidade de São João da Boa Vista (SP), e ela pode ser uma esperança de cura para a doença.

Cinomose pode passar do cachorro para as pessoas?

A cinomose não é uma zoonose e, portanto, não tem capacidade de atingir seres humanos, que podem interagir com cachorros doentes sem preocupação. Porém, entre animais esse contágio é muito fácil, e pode ocorre facilmente através das fezes, secreções nasais e saliva.

Taxa de mortalidade da Cinomose

Infelizmente a taxa de mortalidade dessa doença é muito alta – cerca de 85%. Apenas 15% dos cães conseguem sobreviver, e muitas vezes o cachorro não morre da doença, e seu óbito acaba sendo provocado pelas seqüelas neurológicas. Os filhotes, por terem a imunidade mais baixa, costumam ter uma taxa de mortalidade mais alta do que os adultos.

Como Prevenir a Cinomose

Sempre mantenha em dia as vacinas e os reforços das vacinas do cachorro, e o leve frequentemente a consultas no veterinário para saber se está tudo bem. Dê a ele uma alimentação saudável para que ele tenha uma imunidade maior, e evite levá-lo na rua sem que ele tenha tomado todas as vacinas. Pessoas que tiveram um animal com cinomose em casa não devem ter outro cão por seis meses.

Esse artigo foi enviado pela equipe do site MelhorAmigo.dog, acesse-o para ver outras dicas e informações relacionadas a cachorros.