Categoria: Cachorros

A maioria dos cachorros adoram uma boa rua, não é mesmo? Ver o mundo lá fora, se relacionar com outros cães e ter um lugar maior para brincar, é a alegria dos caninos. Mas isso pode se tornar um problema se ele começar a fugir de casa para ter acesso à esse mundo. Os perigos que envolvem a rua são inúmeros. Desde outros animais que podem machucá-los até as próprias pessoas. Sem esquecer do trânsito, com veículos que oferecem o risco de acontecer um acidente. Dependendo do cachorro ele pode até não saber voltar para a casa e ficar perdido passando fome. Meu cachorro foge muito, o que fazer?

Por que meu cachorro foge muito?

Talvez um dos pontos cruciais deste tema, seja entender os motivos do seu cachorro estar fugindo tanto de casa. Pois alguns motivos podem ser resolvidos de maneiras distintas. Algumas possibilidades dessa fuga incessante, são:

  • Seu cachorro está invocado com outro cão que passou na rua;
  • Fome;
  • Agitado demais;
  • Movimento da rua;
  • Está no cio (para fêmeas)
  • Quer ir atrás de uma fêmea (para os machos);
  • Cheiro de comidas da rua ou outras casas;
  • Pessoas estranhas.

Então você tem que começar a refletir: você anda passeando com seu cão? Dedicando um tempo para brincar com ele? Está alimentando ele bem? Ele fica em um lugar seguro? Observe seu cão e pense nas suas atitudes com ele.Meu cachorro foge muito, o que fazer?

Meu cachorro foge muito, o que fazer?

Depois de refletir e pensar o motivo que seu cachorro está fugindo tanto, você pode tomar certas medidas para educá-lo.

Se ele já tiver fugido, não o recrimine

Muitas pessoas, ao procurar o cão, chegam brigando com ele. Isso só irá afastá-lo e deixá-lo chateado. Porque de certa forma, o seu pet sabe que está fazendo algo errado. Quando ver que você está chegando gritando, sua primeira ação será correr. Por isso, converse com ele amistosamente. Seja calma e tente mostrar ali que quando ele sai, você sente falta dele. Essa atitude deve continuar ao chegar em casa com o cão. Não adianta começar a brigar e gritar com o bichinho. Eles funcionam diferente da gente e só entendem que uma atitude foi ruim com falta de atenção, e não com brigas. A agitação de um repreensão faz com que ele entenda que desta forma ele consegue chamar sua atenção. Então dê um gelo nele que ele irá entender que isso não foi legal.

Reserve um tempo para brincadeiras

Independente da correria do dia a dia, há sempre pelo menos uns 30 minutos em que podemos tirar para brincar com nosso cão. Nem que seja no quintal de casa mesmo. Reserve diariamente um tempo para que ele possa gastar sua energia, se sentir querido e não querer buscar mais coisas lá fora. Muitas vezes ele sai em busca de um pouco de diversão e contato com outras pessoas/animais. Eles precisam de atenção e se sentir amados dentro da casa. O ideal é que você possa sair para um parque ou até um simples caminhada pela rua. Assim ele saberá que poderá (se não diariamente) semanalmente ver um pouco do mundo lá fora. Programe sua agenda para proporcionar esse momento ao seu pet, com isso, com certeza ele não ficará fugindo sozinho.

Fique atento a comida do seu cão

As vezes seu cachorro foge muito só para comer. Então preste atenção se você está alimentando nos horários certos e na quantidade que possa satisfazê-lo. Se você deixa ração antes de ir trabalhar e fica o dia todo fora, talvez esteja na hora de analisar se a quantidade colocada está sendo suficiente.

Eduque seu cão

O ato de não fugir, vem de uma educação que envolve respeito às ordens do dono. Comece a treinar o que pode e o que não pode. Com coisas simples e corriqueiras mesmo. Treine com brinquedos por exemplo: defina uma hora que ele pode brincar com aquilo e uma hora que não. É necessário paciência, dia após dias, principalmente se ele não é acostumado a entender suas ordens. Mas um treinamento básico irá te auxiliar e evitar muitas dores de cabeça que os cães desobedientes trazem.

Castre-o

Seja os machos para procurarem as fêmeas, seja as fêmeas que entram no cio, castrá-los é uma boa opção para diminuir as fugidas. Claro que só será eficaz, se esse for um dos motivos principais.

E aí? Gostou das nossas dicas sobre meu cachorro foge muito, o que fazer? Você tem mais alguma? Deixa seu comentário pra gente!

Read Full Article

“Senta, deita e rola” – quem não adora que o seu cachorro faça isso, não é mesmo? É uma graça e simboliza muito respeito pelo dono. As duas primeiras ações são as mais simples de ensinar, mas e a terceira? Como ensinar meu cão a rolar? Tem muito cachorro que tem dificuldade em aprender e as vezes o dono não sabe exatamente como ensinar. Aliás, a comunicação com o mundo canino funciona diferente do nosso. Não é apenas falar, mas sim mostrar de uma forma que ele possa entender. Não sabe a linguagem dos cães? Calma que a gente vai ter ajudar a falar com eles e você vai ter um pet que senta, deita e ROLA!

Como ensinar meu cão a rolar: Dicas!

O método na verdade não é muito diferente de ensinar qualquer coisa ao seu cão. Eles costumam responder por ações bem parecidas. Como a maioria deles é muito carente, a atenção por si só naquele momento, as vezes já vale a rolada. Para começar, tenha em mente algumas coisas:

Tenha petiscos em mãos

Primeira coisa a ser fazer, é entender que o cão deve estar em um ambiente que ache divertido e seja recompensado. Cachorros gostam de serem “pagos” por algo bonito que fizeram. Gostam de reconhecimento. Então separe um petisco, pode ser um lanche, uma ração mais gostosa, queijo, carne magra ou um alimento que ele goste muito. Parta a comida em pedaços na frente dele. Assim, ele verá que ao fazer algo, ganhará apenas um pedaço e saberá que existe mais. Um boa tática também, são elogios e carinhos. Essa pode ser uma recompensa ainda mais valiosa para alguns cães, dependendo da personalidade e raça.

Não brigue com ele

Sabe aquela famosa frase que tem gente que trabalha bem sob pressão? Então, não é assim no universo canino. Se eles forem xingados porque não conseguiram fazer o que você quis ensinar, ao invés dele querer provar que consegue, ele irá ficar chateado. Na cabecinha dele, irá relacionar essa ação à algo negativo e nunca irá aprender.

Escolha um bom lugar

Criar um ambiente em que o seu cão goste de brincar e se sinta a vontade, também é uma ótima opção. Opte pelo quintal no qual ele gosta de ficar, sem que vocês sejam incomodados o tempo todo e nem tenha muito barulho.Como ensinar meu cão a rolar

Enfim, Como ensinar meu cão a rolar?

Agora com tudo preparado (recompensa, atitude e um lugar) é a hora de ensiná-lo:

  • O primeiro passo é pedir que ele deite. A posição deve ser com ele sobre a barriga com as patas para frente. Desta forma possibilita que ele possa rolar sem correr o risco de se machucar.
  • Pegue o petisco e segure perto do rosto do seu cão. Procure uma distância em que ele não consiga pegar, mas que possa sentir o cheiro e ver. Uma dica é fechar as mãos para evitar que ele pegue o petisco antes da hora.
  • Gire o petisco ao redor da cabeça dele na altura em que o focinho possa seguir. Diga “rola” ao mesmo tempo que começar a girar. A cabeça e o corpo do cachorro costumam seguir o focinho. Por isso a chance dele começar a rodar/rolar junto, é grande. Sem pensar, ele vai rolar para buscar o seu alimento.
  • Se desta forma ele não rolar, apenas com o movimento do petisco e sua fala, ajude-o no processo. Você pode fazer um gesto de rolar com as mãos ou inclinar o corpo dele para que ele consiga.
  • Mesmo que ele consiga uma vez, não pare ainda. Para que ele sempre responda à esse comando, é necessário fazê-lo algumas vezes. Pratique quantas vezes você tiver fôlego e claro, não se esqueça de dar a recompensa quando ele conseguir. Assim, ele irá relacionar o rolar com algo positivo (petisco) que virá depois. Elogie e faça carinho também, estímulos nunca são demais.
  • No começo ele irá apenas fazer esperando a recompensa. Com a prática, você pode começar a tentar dar o comando sem o petisco na mão girando em torno para ajudá-lo. Mas ainda assim, dê a ele o prêmio após isso. Aliás, ele merece pelo esforço né?
  • Depois disso, é só continuar praticando e isso irá virar algo simples para seu cão. E quando alguém te perguntar: “como ensinar meu cão a rolar”, você saberá como ajudar.

E aí? Curtiu nossas dicas de como ensinar meu cão a rolar? Tem alguma sugestão? Compartilhe com a gente!

Read Full Article

Tem coisa mais fofa quando um cachorro desconhecido chega perto de você e dá a patinha? A gente derrete por dentro e fica querendo que nosso animal aja do mesmo jeito. Mas isso não é impossível de acontecer e nem é natural de qualquer cachorro. A grande maioria faz essa ação porque foi ensinado pelo dono a fazer. Mas, como ensinar meu cão a dar a pata? A verdade é que não tem muito segredo. É preciso um tempinho de dedicação. Com paciência logo seu cachorro vai estar dando a pata para um desconhecido e despertando nele o mesmo sentimento que você teve.

Como ensinar meu cão a dar a pata: Dicas

Antes de começar o treinamento, é necessário montar todo um ambiente e preparar alguns recursos para serem utilizados:

Separe um petisco

Cachorros adoram ter a atenção do dono e receber recompensa por algo que fez. São iguais criança mesmo. Então nada mais recompensador que um bom alimento, não é? Escolha aquele petisco que ele adora e que ele não tem sempre. Assim ele saberá que poderá experimentar o alimento que mais gosta naquele momento apenas.

Elogie

Outra forma de recompensa é um simples elogio e carinho. É como aquele bom e velho “bom menino”. Eles se sentem amados e irão responder ao comando em busca desse sentimento.Como ensinar meu cão a dar a pata

Escolha um lugar

Opte por um lugar da casa em que ele se sinta a vontade. Pode ser o quintal, o jardim ou até um cômodo dentro de casa que seu cão adora ficar. Quando mais a vontade ele se sentir, mais ele irá se divertir e entender os comandos. Também prefira horários em que não tem muita gente e nem muito barulho que o distraia. É importante que ele foque no que você quer ensiná-lo.

Escolha um comando verbal

Ficar trocando de fala do comando não ajuda no treinamento. Então escolha uma, pode ser o famoso “dá a patinha” e combine com todos a mesma frase. Assim o som daquele comando sempre irá se relacionar na mente dele com a mesma ação.

Enfim, Como ensinar meu cão a dar a pata?

Agora que está tudo em ordem, vamos entender como ensinar meu cão a dar a pata:
Como ensinar meu cão a dar a pata

  • O primeiro passo é pedir para que ele sente. Depois mostre o petisco que você escolheu e esconda dele fechando sua mão.
  • Alguns cães têm o costume de aproximar a pata para falar com o dono. Nesses casos, o processo se torna ainda mais fácil. Pois logo que você esconder o petisco ele irá esticar as patinhas. Mas caso contrário, se ele tentar buscar o alimento com a boca, você terá que ajudá-lo. Jamais use de algum xingamento de repreensão se ele não agir como o desejado. Cães não reagem bem quando não se sentem bem tratados. Eles acabam relacionando aquele momento a um sentimento ruim.
  • Você pode gesticular com a sua mão com a palma para cima em direção da pata dele. Esse é o momento de usar seu comando verbal de “dá a pata”.
  • Quando ele começar a mexer a pata e levantá-la um pouco, faça um elogio e um carinho. Assim você vai encorajá-lo a fazer mais. Você pode até abrir a mão com o petisco, mas sem ainda dar para ele.
  • Alguns cães já começam a dar a pata apenas com essas ações. Mas caso o seu não faça, o ajude novamente. Pegue a pata dele e coloque na sua mão. Quando fizer isso, dê a ele o petisco. Ele irá relacionar o ato de dar a pata para você à uma ótima recompensa.
  • Depois que ele fizer a primeira vez sem sua ajuda, continue treinando. Após um tempo, comece a treinar sem o petisco, apenas com seu comando de voz. Com a prática e paciência, logo isso se tornará um costume: quando ele ouvir o comando, automaticamente dará a pata.
  • Quando ele passar a fazer apenas com o comando, comece a praticar em ambientes diferentes. Tente em outro lugar e até em locais que possuem outras distrações. Conforme isso for dando certo, peça para outra pessoa tentar com o mesmo comando. Depois disso, ele estará pronto para dar a pata sempre que for pedido.

 

E aí? Gostou das nossas dicas? Tem alguma sugestão? Conta pra gente aqui nos comentários!

Read Full Article

Queimadura em cães podem acontecer acidentalmente e você deve saber tudo o que pode e não pode fazer nesse momento de tensão. Veja a seguir!

Ver o nosso cãozinho sofrendo por uma queimadura pode ser assustador. Mas você deve estar preparado caso essa infeliz situação aconteça com seu animal. Por isso preparamos um artigo especial para lhe ensinar e dar as dicas do que fazer caso o seu cachorrinho se queime. Há diversas táticas de acordo com o tipo de queimadura. Há coisas que você deve fazer imediatamente e atitudes que não deve fazer senão piora a situação do animal. Veja tudo isso a seguir.

Meu cachorro se queimou e agora?

Os cachorros domésticos e de companhia sofrem alguns riscos de acidentes dentro de casa. Assim como nós humanos, eles podem se queimar com fogo, com comida quente, com óleo quente, com produtos de limpeza corrosivos, com algo muito gelado, com o sol e etc.

Abaixe a temperatura do local

Há certos procedimentos de primeiros socorros que devem ser feitos de acordo com o tipo de queimadura que o cachorro teve e alguns que são para todos os tipos. A primeira coisa que se deve fazer quando o cão se queimar é abaixar a temperatura do local queimado com água, de preferência corrente. Se o seu cão se queimou com algo quente que caiu sobre ele, tipo óleo, leve imediatamente ele para um lugar onde você possa molhar a parte afetada imediatamente. Assim que começar a baixar a temperatura local a queimadura cessa e a dor vai diminuindo.Queimadura em cães

Em caso de óleo quente ou produto de limpeza corrosivo

Após baixar a temperatura local com água, se a queimadura for feita por óleo quente ou alguma produto de limpeza corrosivo você deve limpar o local para tirar totalmente o que o fez queimar e evitar possíveis contaminações. Limpe com uma gaze e água. Tire o excesso do óleo ou todo o produto corrosivo da pele do cachorro. Certifique-se que a área está totalmente limpa, cubra o local com mais um gaze limpa para evitar que pouse insetos e leve o seu cão diretamente para uma clínica veterinária. Isso é necessário para que ele receba o tratamento adequado por um profissional.

Queimadura por gelo

Se a queimadura do cão for por neve, gelo ou algo muito gelado, o ideal é você leva-lo imediatamente para um local fora do frio. É necessário equilibrar a temperatura da queimadura com água morna. Como foi uma queimadura de congelamento o ideal é voltar a para temperatura normal. Logo após leve o seu cão para o veterinário analisar o caso e passar o tratamento ideal para curar essa queimadura.

Queimadura de sol

Se for uma queimadura provocada por sol, mantenha o cachorro bem hidratado. Molhe o local queimado com gaze. Evite colocar hidratante ou qualquer outra coisa antes de o veterinário examinar o seu cachorro e dizer o que você pode fazer para amenizar a queimadura de sol.

Queimadura na boca e na garganta

Se o seu cachorro tiver engolido algum produto químico corrosivo e tiver queimado a boca e garganta, não provoque o vômito nele. Isso pode piorar e queimar ainda mais suas vias aéreas. Dê água ou leite para ele beber e corra imediatamente para uma clínica veterinária.

Queimadura em cães

Queimadura em cães: O que fazer para evitar?

É fato que os cachorros amam a companhia de seus donos e querem ficar por perto todo o tempo que for possível. Isso inclui a hora que seus donos estão na cozinha preparando alguma comida. Esse é um momento perigoso e que costuma causar a maioria dos casos de queimadura em cães. Eles podem derrubar alguma panela do fogão que está muito quente, com óleo ou água fervente. Para evitar esses terríveis acidentes e para que o seu cachorrinho não sofra uma queimadura que pode ser muito grave, evite que ele fique na cozinha e perto das coisas que estão fervendo. Deixe ele do lado de fora e tranque a cozinha nesse momento. É sempre melhor evitar do que remediar.

Algumas pessoas nunca param pra pensar em como o chão da rua ou o asfalto podem estar quentes em determinadas horas do dia para levar o cãozinho para passear. Nós humanos estamos sempre calçados e não percebemos o quanto o chão está quente. Os cães pisam com suas patinhas puras no chão e podem queimar de forma séria. Evite levar o seu cachorro para passear nas horas mais quentes do dia. Procure locais com sombra. Se o seu cachorro se recusar a andar e quiser só ficar na sombra, isso quer dizer que o chão está muito quente e queimando suas almofadinhas e ele está sentindo dor.Queimadura em cães

Para cães com a pele muito clara e sem pelos é necessário usar um protetor solar próprio para cães. Isso irá evitar as queimaduras solares, insolações e câncer de pele. Você encontra esses protetores solares próprios em petshops.

Curtiram as dicas sobre queimadura em cães? Para outras dúvidas e sugestões nos deixe comentários!

Read Full Article

É muito comum cachorros com tártaro e cuidar desse problema é essencial para a vida do seu pet. Aprenda a seguir tudo sobre o tártaro em cachorros

O tártaro não é um problema dentário só dos humanos, ele pode aparecer nos gatos e principalmente nos cachorros. Há várias formas de você identificar se o seu cachorro está com tártaro e nós vamos ensinar como você pode saber isso. É importante você observar a saúde bucal do seu cachorro. O tártaro acumulado poderá trazer diversas outras doenças para ele, que podem afetar outros órgãos do seu corpo e comprometer sua saúde. Poucas pessoas sabem dos cuidados para evitar o tártaro, por isso o este artigo é especialmente sobre os tratamentos e prevenções.

O que é o tártaro em cachorros?

O tártaro canino se forma com o tempo. Não é um problema que surge de um dia para o outro. Isso se deve ao fato de o cachorro comer todos os dias e não ter nada que limpe os restos de comida que ficam presos nos dentes. Esses restos de comida presos nos dentes se acumulam e formam uma massa que se calcifica por cima do esmalte do dente e ali se instala, formando uma gengivite. A gengivite é uma inflamação da gengiva. Isso forma também um agrupamento crônico de bactérias e o amarelamento dos dentes do seu cão.

A gengivite é uma doença dentária canina e que deve ter muita atenção dos donos, para que futuramente não cause mais problemas de saúde para o cão.

O tártaro em cachorros se dá pelo mesmo fato do tártaro em nós humanos, uma má limpeza dos restos de comida nos dentes após as refeições.

Tártaro em cachorros

 

Como identificar se o meu cachorro está com tártaro?

Há 4 principais sinais que você pode analisar apenas abrindo a boca do seu cachorro para ver se há tártaro em seus dentes.

  1. Mau hálito/halitose: esse é um dos principais sinais de um cachorro com acúmulo de tártaro nos dentes. Sabe quando o seu cachorro tá com aquele bafo? Esse é o primeiro sinal de tártaro. Provavelmente ele tem muito resto de comida preso entre os dentes e isso está se decompondo lá e trazendo forte odor no seu hálito.
  2. Gengivite: a gengivite é uma inflamação das gengivas causada pelos dentes que tem tártaro. As presenças dos restos de comidas acumuladas fazem com que as bactérias se desenvolvam e se instalem ali causando uma inflamação. A gengivite é detectada quando a gengiva do seu cão está vermelha e muito inchada. Dependendo do estado da infecção ela pode até sangrar.
  3. Dentes amarelados: os dentes do cachorro que antes eram brancos vão se tornar amarelos. Algumas partes vão ficar mais amarelas que outras, isso é a placa do tártaro acoplada ao dente. Geralmente a gengiva que está perto desses dentes amarelados se encontra inflamada e com gengivite.
  4. Perda de dentes ou mobilidade: se o cachorro passar muito tempo com tártaro e sem o tratamento adequado, a gengivite aumenta e a inflamação também ocasionando a periodontite. Periodontite é a infecção dos tecidos que suportam os dentes. Isso pode fazer com que os dentes mudem de lugar ou que caiam.

Tártaro em cachorros

Como prevenir o tártaro nos cachorros?

Essa é uma tarefa fácil. Ela exige dedicação do dono do cachorro e é muito parecida com os cuidados que temos com nossos próprios dentes, a escovação para retirar os restos de comida.

O ideal é que você acostume o seu cachorro a “escovar os dentes” o mais cedo possível. Assim que ele perder os dentes de leite e começar a ter os dentes definitivos você pode começar a introduzir a rotina de escovar os dentes dele.

Há escovas de dente próprias para cachorros e pastas de dente também. De forma nenhuma use sua escova de dente e creme dental de humanos no cachorro. Isso pode provocar uma intoxicação nele.

Quanto mais cedo você introduzir a escovação dentária do seu cão, mais rápido ele vai se acostumar. Há pastas de dente com sabor de carne e são as mais convidativas para eles. O ideal é escovar os dentes do seu cachorro todos os dias, para evitar o acúmulo de tártaro. Caso não tenha essa disponibilidade escovar os dentes dele 3 vezes por semana também é suficiente e irá ajudar a prevenir.

Há rações próprias para evitar o acúmulo de tártaro que você também pode dar ao seu cachorro. Existem também brinquedos e petiscos com a mesma função. Alguns brinquedos duros são próprios para que ele morda e o tártaro não se acumule.

Tártaro em cachorros

O meu cachorro já tem tártaro e agora?

Se você identificou o tártaro no seu cachorro o mais ideal é que você o leve o mais rápido possível a uma clínica veterinária.  Eles vão analisar a quantidade de tártaro. Também é imprescindível marcar uma limpeza com o veterinário.

Em casos mais leves a limpeza do tártaro é simples e rápida, se o estágio já está mais avançado, às vezes os veterinários recomendam uma anestesia parcial no seu cão para que eles possam fazer uma raspagem e limpeza mais profunda do tártaro que pode estar crônico e comprometendo a saúde do seu cachorrinho.

Tártaro em cachorros

Fique atento à saúde bucal do seu pet e escove os dentes dele sempre que puder para evitar o tártaro.

Gostaram das dicas nossas dicas sobre tártaro em cachorros? Deixe seu comentário!

Read Full Article

Já percebeu que a vida inteira a rainha Elizabeth teve dezenas de cachorros da mesma raça? Não é à toa que é uma raça adorada pela família real. Descubra a seguir qual é a raça do cachorro da Rainha Elizabeth.

A rainha Elizabeth ao completar 18 anos de idade ganhou de seu pai, o rei George VI, no seu aniversário um filhote de cachorro, que ficou muito famoso por suas travessuras e histórias com a rainha. Por ser seu grande companheiro a rainha teve mais de 30 cachorros da mesma raça e descendentes da sua primeira cadela que se chamava Susan. Por ser a raça preferida da rainha já podemos perceber que é uma raça especial. Saiba tudo sobre essa raça a seguir e suas principais características e personalidade.

Qual é a raça do cachorro da Rainha Elizabeth?

Você já deve ter percebido em fotos da rainha Elizabeth em casa, nos passeios e em viagens, sempre acompanhada por seus inseparáveis cachorros. Eles vão aonde ela vai. Ela mesma que os alimenta e as suas refeições são especiais e preparadas pelo chef oficial da família real. Os seus cães são sempre da mesma raça, o que desperta curiosidade das pessoas em saber qual qual é a raça do cachorro da Rainha Elizabeth e conhecer suas peculiaridades.

A raça dos cachorros da rainha é o Welsh Corgi Pembroke, mais conhecido apenas por Corgi. Corgi significa em galego cão anão. Essa é a sua principal característica, é um cão de porte pequeno e tem as patas curtas. Sua pelagem é espessa, o focinho é protuberante, as orelhas em pé e o rabo curto. É isso o que diferencia de outra raça muito parecida que é o Welsh Corgi Cardigan, que tem o rabo longo igual de uma raposa e as cores da pelagem um pouco diferente.

Qual é a raça do cachorro da Rainha Elizabeth

A história

Ao ganhar de seu pai aos 18 anos uma corgi chamada Susan, a rainha logo se apaixonou por sua cadela. A cachorra foi bastante mimada, costumava correr atrás dos funcionários do palácio e tinha um gênio forte. Mas isso não intimidou a rainha, que a partir de Susan acompanhou os cruzamentos pessoalmente e desde então só tem corgis que são descendentes de Susan. Isso faz com que ela tenha por perto uma lembrança do presente de seu pai e também de sua primeira cadela.

A rainha e seus corgis são inseparáveis. Houve uma época em que ela tinha cerca de 7 corgis. Todos os dias seus cães a acompanham em longas caminhadas ao ar livre e são alimentados diretamente pela rainha, por um cardápio especial para cada um deles. Seus corgis também a acompanham diariamente em seu chá das 5.

Qual é a raça do cachorro da Rainha Elizabeth

Características dos Corgis

Não é à toa que o corgi é a raça preferida da rainha Elizabeth, eles são verdadeiros companheiros. Em sua história, os corgis eram cães de pastoreiros, ajudavam a levar o rebanho de uma cidade a outra na Europa antiga. São cães fiéis e muito dedicados ao trabalho.

Os corgis gostam de longos passeios ao ar livre e gostam também de ficar dentro de casa com seu dono. São cachorros que precisam gastar sua cota de energia passeando no mínimo uma vez por dia ou fazendo exercícios e brincadeiras intensas.

São cachorros muito dóceis e amáveis com seus donos. Lidam bem e são simpáticos com visitantes em casa. Têm também facilidade de fazer amizades com outros cachorros ou outros animais.

Os corgis tendem a ser um pouco teimosos para aprender algumas tarefas ou truques. Por isso se você não tiver paciência para ensinar várias vezes, contrate um adestrador para lhe ensinar as regras básicas. Assim você não terá tanto trabalho para ensinar outras coisas.

Qual é a raça do cachorro da Rainha Elizabeth

Problemas de saúde dos corgis

Felizmente a raça dos corgis é uma raça muito forte e não apresenta quase nunca grandes problemas de saúde. Os corgis podem ter em sua velhice obesidade, principalmente se eles não fazem caminhadas ou exercícios diários. Podem ter displasia, que é um tipo de problema de locomoção nas patas traseiras e bacia do cachorro, glaucoma e problemas de vista. Fora isso os corgis não costumam apresentar outras doenças.

Leve seu cachorro sempre ao médico para fazer exames físicos e exame de sangue. Para prolongar sua vida e sua saúde, leve o seu cachorro no mínimo uma vez por dia para passeios, para que ele se exercite, fortaleça os músculos, se distraia, gaste sua energia e ansiedade. Assim você terá em casa um cachorro sempre alegre, calmo e bem saudável.

Quanto custa um corgi?

Por não ser uma raça muito difundida e popular no Brasil, um filhote de corgi custa caro, em torno de R$3.000,00 a R$5.000,00.

Para comprar um cachorro de raça e com pedigree, não e recomendado que você procure em petshops. A melhor forma de comprar um cachorro com pedigree é procurar um canil especializado nessa raça que vá emitir um certificado original do pedigree. Os canis autorizados fazem as cruzas de raças da maneira correta e com descendentes saudáveis, para que o seu cão não acarrete doenças futuras hereditárias.

Gostou do artigo sobre qual é a raça do cachorro da Rainha Elizabeth? Deixe seu comentário!

Read Full Article

Os filmes sobre cachorros costumam aumentar muito a procura por cães da mesma raça da história. O filme e o livro Marley e Eu foi um sucesso mundial, principalmente por se tratar de uma retratação de uma história real, escrita pelo próprio dono do cachorro. A história traz muitas alegrias, peraltices e emoção da vida do Marley, desde filhote até sua velhice. Após o lançamento do filme, a procura pela raça do protagonista animal foi enorme. Todo mundo desde então quer saber qual é a raça e suas principais características. Veja no artigo especial de hoje Qual é a raça do Marley e diversas informações.

Qual é a raça do Marley?

Se você quer saber qual é a raça do Marley, precisa saber que se trata de cão da raça labrador. Está é uma das raças mais populares de cachorros no mundo. Isso se deve às suas características e personalidade. Os labradores conquistam todos ao seu redor e principalmente as crianças.

O perfil do labrador

Se você também se apaixonou pelo Marley e suas atitudes, você provavelmente vai amar todos os labradores, porque suas personalidades e atributos são muito parecidos. Os labradores são genuinamente adoráveis. São cachorros carinhosos e que gostam de estar junto ao dono. Animados para fazer caminhadas e exercícios, são grandes nadadores, adoram atividades na água, são extremamente inteligentes, aprendem truques e adestramento de forma rápida. Além disso, – adoram brincar com crianças, são gentis e gostam de executar as ordens dos seus donos.

Ter um labrador em casa é sinônimo de alegria e animação no lar. Os labradores são cães com características de cães pastores. Gostam de correr, de receber ordens, de gastar sua energia ao ar livre, principalmente na água. Se você tiver uma piscina em casa tome cuidado, deixe-a cercada, senão todos os dias você verá seu cachorro dando um enorme mergulho e brincando na piscina. Eles não resistem.

O labrador é um cachorro extremamente fiel ao seu dono e inteligente. Por esses dois motivos é o cachorro mais utilizado como cão-guia para pessoas com deficiência visual. Ele aprende os comandos, os segue sem distrações e deixa o seu dono em segurança, ajudando a se locomover na rua e nas tarefas domésticas, além de fazer companhia e ser extremamente fiel.

Qual é a raça do Marley

Labrador e crianças

Se você tem crianças em casa o labrador é o cão ideal. Ele adora brincar e se divertir, é muito carinhoso e cuidadoso com as crianças. Os cachorros sabem distinguir muito bem um adulto de uma criança. Eles enxergam uma criança exatamente como se fosse um filhote de sua espécie, por isso são cuidadosos e delicados. Não tenha medo de deixar uma criança junto com um labrador, eles serão muito amigos e vão se divertir como nunca.

Labradores são bagunceiros mesmo?

O labrador, como dito anteriormente, é um cão que contém muita energia para gastar, principalmente quando filhote. Assim como as crianças quer estar brincando o tempo todo.

Ao adquirir um filhote de labrador, ou qualquer outro cachorro, você tem que ter em mente que está com um cão com muita energia e que ele precisará gastá-la. O ideal é que você more em casa e que tenha um quintal para ele correr e ter com o que se distrair. Se você mora em apartamento, saiba que vai precisar fazer longos passeios diários com seu labrador. Uma voltinha na rua de 20 minutos ou meia hora não são suficientes para que ele gaste energia e fique cansado.

Qual é a raça do Marley

Como evitar a agitação do cão?

Se o seu labrador não gastar a energia necessária em passeios e exercícios físicos ele pode se tornar um monstrinho dentro de casa. Destruindo móveis, sapatos, roupas, bolsas, sofás, almofadas, fazer buracos na parede e coisas surpreendentes. Os labradores precisam gastar sua energia e se ele ficar em casa, ele vai gastar de qualquer maneira, mesmo que seja destruindo objetos do seu lar, porque ele fica entediado e vai “brincar” com o que tem. Por esses motivos é tão importante que você leve ele para exercícios de corrida na praia ou no calçadão, nadar em algum lugar por uma hora, até que ele se canse e depois quando voltar pra casa já não terá energia para destruir coisas e irá passar uma parte do tempo descansando e até dormindo.

Para seu labrador, sempre que você for passar algum tempo fora de casa e ele irá ficar sozinho, tenha em casa brinquedos para que ele fique entretido por bastante tempo, brinquedos próprios para esse momento, que ele vai ficar curioso, vai tentar abrir. Existem brinquedos que soltam petiscos ou ração de tempos em tempos, ele ficará esperando por isso. Evite brinquedos com peças muito pequenas e que possam se saltar e o cão engolir. Se ele ficar engasgado não terá ninguém em casa para ajudar. Tome todos os cuidados antes de sair de casa e deixar o seu cão.

Se você gosta de ter alegria em casa, um cão animado, carinhoso, prestativo e muito inteligente, tenha um labrador. Vai ser o seu maior companheiro!

Gostou do nosso post sobre qual é a raça do Marley? Deixe seu comentário!

Até a próxima!

Read Full Article

Já viu o filme ou o seriado da Lassie que fez sucesso no mundo todo? Descubra qual é essa raça e suas características.

O filme Lassie e posteriormente o seu seriado, muito famoso nos anos 70 e 80 fez um enorme sucesso no mundo todo, deixando a raça desse cão muito conhecida, por esse motivo as pessoas geralmente não sabem ainda o nome original da raça e chamam apenas de Lassie. Um cão inteligentíssimo e muito carinhoso, veja todas as suas qualidades a seguir e sua história de origem.

Raça da Lassie e sua origem

A cadela mais famosa da tv é um ícone mundial, a Lassie é da raça Collie e sua personalidade e características da raça são muito bem representadas no filme e no seriado que leva seu nome, um cachorro dócil, carinhoso, amoroso e que adora a companhia da família.

A raça collie é de cães pastoreiros, sua origem ainda é um pouco indefinida entre Reino Unido e Escócia, onde as sociedades antigas usavam muito cães pastoreiros para rebanhar as ovelhas em suas grandes propriedades. Não se sabe aonde os Collies vieram primeiros, se no Reino Único ou pelos escoceses, porque há histórias e registros de collies na mesma época em ambos os países.

raça da lassie

Collie e suas características

Os Collies são reconhecidos de longe pelo seu porte imponente e elegante, tem pelagem comprida e lisa, focinho um pouco mais protuberante, orelhas pequenas, rabo grande e vistoso que está sempre abanando, temperamento alegre e olhar muito doce.

Os collies conquistam por onde passam, são muito amigáveis com humanos, adoram crianças, adoram correr e gastar energia, tudo isso resquícios de suas funções antigas como cães pastores.

O collie é de um porte grande, pode pesar até 25 kgs e se adapta bem em apartamentos, na verdade eles gostam mais de ficar perto da família do que ter um grande quintal para morar ao ar livre. Devido à sua pelagem é melhor também que ele more no interior da casa e do apartamento, onde é menos calor e se sujará menos. Os collies preferem muito mais passar tempo com seus donos e com a família do que ficar em um quintal em busca de aventuras.

collie

Se você procura uma raça de cachorro para companhia, fidelidade, guarda, que gosta de carinho e que seja calmo o collie é ideal pra você. É um cachorro que gosta também de passeios, de correr e gastar sua energia, exercitar os seus músculos que são próprios para corridas como pastor.

Raça inteligente

Se além das características citadas acima como um cachorro que gosta da companhia da família, de se exercitar e de fazer amizades, saiba que os collies são extremamente inteligentes, eles gostam e aceitam com facilidade serem treinados e adestrados para tarefas que não são só de pastoreiro, mas sim como obediência, comandos de caça, adestramento policial e guardião da sua casa e família, são todas essas características que podem ser exploradas pela raça.

É um cão protetor e que se treinado da forma correta estará sempre em alerta para os primeiros sinais de perigo e agirá imediatamente para proteger a sua amada família.

Se você tem criança em casa os collies serão ideais, além de serem extremamente gentis com crianças eles serão também os seus protetores.

Comportamento do Collie, a raça da Lassie

Os cachorros da raça collie gostam e necessitam de um bom espaço em casa ou no apartamento já que seu porte é de médio para grande, gostam de se exercitarem e gastar sua energia por terem características de cão pastor, mas gostam também de ter seu tempo de descanso e cochilo em paz parte do dia também.

É um cão calmo, manso e muito dedicado ao dono, gosta de receber comando mesmo que às vezes pareça muito teimoso. Por ser muito inteligente ele aprenderá os métodos de adestramento muito rápido. Em poucos meses você terá um cão educado, paciente, protetor e obediente.

Por gostar muito de companhia e de sua família, o collie não gosta de passar longos períodos sozinho em casa, porque ele pode ficar carente, ocioso, entediado e ansioso. Se você mora sozinho e trabalha o dia inteiro é melhor escolher outra raça que fique mais tempo sozinho e sem problemas. Se mesmo que você trabalhe o dia todo sempre tenha alguém em casa o problema está resolvido.

collie

Estrutura física dos collies

Eles são fortes e ágeis, tem uma postura bonita e bastante nobre. A altura máxima de um collie pode chegar a 60 cm, o peso deles pode variar de 16 a 30 kgs.

Sua pelagem é cheia e lisa, necessitando de escovação pelo menos duas vezes por semana, para evitar que o pele embole e que caia muito pela casa.

Quanto custa um filhote?

Você também quer um collie? O valor de um filhote com pedigree pode variar entre R$600,00 a R$1.500,00.

Cuide bem do seu cachorro e terá um verdadeiro amigo e companheiro na vida!

Para dúvidas deixe-nos comentários. Até a próxima!

 

Read Full Article

Quando se tem um cachorro em casa é bem comum que ele passe algumas horas do dia sozinho em casa, principalmente se todos os membros da família saem para trabalhar ou estudar fora todos os dias. Os cachorros são como crianças, não sabem dos reais perigos que podem acontecer com eles, eles podem se machucar, ficar preso e causar algum transtorno, mas para isso não acontecer algumas medidas os donos podem tomar antes de sair de casa e deixar o cão sozinho, aprenda aqui as melhores maneiras para o seu cachorro ficar sozinho e em segurança.

O que fazer quando meu cachorro precisar ficar sozinho? Cuidados que se deve tomar.

Os cães são animais que gostam muito de companhia, por isso são chamados de os melhores amigos do homem, aonde você vai ele está atrás em busca de seu carinho e atenção. Quando você sai de casa o seu cachorro sente sua falta e pode ficar muito entediado ou triste, há algumas ação que você pode fazer para que ele não se sinta tão sozinho.

Quando o cachorro fica cheio de energia, entediado e sozinho em casa, é muito provável que você encontre uma surpresa desagradável quando chegar em casa, porque ele pode fazer bagunça para poder se distrair, roer um móvel, estragar sapatos, morder sofás, poltronas e almofadas, fazer xixi em cima da cama e no lugar errado, espalhar a comida pelo chão, fazer bagunça com a água, rasgar tecidos e tapetes, morder livros e papéis e infinitas outras travessuras, tudo isso porque ficou entediado. Porém, além da bagunça o seu cão tentando se distrair pode se machucar e se ferir em casa e ninguém quer que isso aconteça, porque ele pode não saber sair da situação e ter ferimentos graves.

Alguns cachorros podem derrubar estantes em cima deles, mesas com copos e pratos no chão, se cortar com vidro, cair algum objeto e etc.

Leve seu cachorro para um passeio longo e cansativo

Antes de sair o mais importante é levar o seu cachorro para passear, passeie bastante até que ele se canse e fique menos ansioso quando tiver sozinho em casa, cansando ele bastante no passeio ele passará boa parte do dia tirando um cochilo e sem se arriscar pela casa. Saia e faça bastante exercício com ele, isso é muito importante.

cachorro sozinho em casa

Restrinja o espaço dele na casa

Outra dica valiosa é diminuir o espaço dele na casa. Muita gente acha que deixando a casa inteira livre enquanto o cachorro está sozinho em casa é a melhor opção para ele circular, mas na verdade essa casa toda livre pra ele fará ele se sentir mais sozinho ainda e com mais saudade do dono.

O certo é você restringir para ele uma área da casa para ele ficar enquanto está sozinho. Escolha uma área um livre de perigos sem coisas que ele possa subir e estragar e lugares que não tenham fios elétricos para ele roer, porque ele pode tomar um choque ou ser eletrocutado, os cachorros são muito frágeis e todo esse cuidado com fios elétricos são necessários.

Deixar o cachorro restrito na cozinha e na área de serviço é um ótimo exemplo, provavelmente ali perto estará sua comida e água para quando precisar, o seu lugar de fazer as necessidades e um cantinho para brincar e descansar, assim ele não corre perigo com outros cantos da casa e se sentirá menos sozinho e mais seguro até que seu dono chegue.

Desligue fios das tomadas

Se você vai deixar seu cão sozinho em casa é importante que você deixe os aparelhos elétricos e eletrônicos que ficarão perto dele desligados da energia, porque se ele for um cachorro curioso e farejador, pode ser que ele queira brincar com os fios e tomar um choque. Tome cuidado com isso, deixe tudo desligado da tomada!

Deixe brinquedos apropriados

Há diversos brinquedos vendidos em pets apropriados para quando o dono vai passar algumas ou muitas horas fora de casa. Geralmente são brinquedos de material muito resistente e que o cachorro vai passar muito tempo brincando e “tentando” destruir ele, mas não vai conseguir.

Evite deixar o cachorro sozinho com brinquedos que contém pequenas peças que podem se soltar, porque sem ninguém em casa ele pode engolir e ficar engasgado, não terá ninguém para ajuda-lo.

Há brinquedos bem resistentes e alguns que de tempos em tempos ele solta um pedaço de petisco ou ração, o que distrai bastante o seu cão e não deixará ele entediado e se sentindo sozinho.

Evite os ossos de couro que soltam pedaços, o seu cão pode se engasgar também.

Se mesmo com essas dicas você ainda se sente inseguro em deixar o seu cão sozinho em casa, que tal conhecer a Dog Hero? Eles são uma empresa que conectam donos de pets com pessoas que desejam receber esses cãezinhos em casa enquanto os seus tutores viajam.

Essas são as principais dicas para você manter o seu cão em segurança mesmo passando horas sozinho.

 

Read Full Article

Nós amamos nossos cães, mas à vezes, por mais que conheçamo-los e suas personalidades, algumas situações podemos nos surpreender muito com sua agressividade, é nesses momentos que é importantíssimo saber como agir na hora de uma briga entre dois cães, para que eles não se machuquem e também não machuquem você. Prevenir e intervir da forma correta necessita de conhecimento de métodos específicos. Saiba a seguir o que fazer ao presenciar uma briga entre cachorros.

O que fazer e o que não fazer numa briga de cães?

É importante saber também como não agir num momento tenso desses de uma briga entre cachorros. Dois cachorros irritados numa briga, se não forem separados, podem se machucar muito e se a briga durar demais pode levar a ferimentos sérios ou mesmo até o óbito. Tente não ficar nervoso e irritado, os cachorros sentem o estado do humano e correspondem da mesma forma, isso pode piorar a situação. Não grite também, o cachorro ficará mais agressivo, o certo é manter a calma. Não bata no cachorro, ele pode revidar e morder você, causando mais transtorno nesse momento tenso.

Não tente separar os cachorros numa briga usando a sua força física e se colocando no meio, isso pode trazer sérias lesões para você, quando alguns cachorros os mordem não soltam mais, mesmo que você seja o dono.

Não chute os cães e nem bata neles, essa agressão só gerará mais violência ainda, além de machucar você o cão também pode ficar gravemente ferido.

Se a briga acontecer no meio de um passeio na rua, não puxe a coleira do seu cão, ele pode se virar contra você.

Ao avistar uma briga de cachorros, não deixe que eles resolvam essa briga sozinhos, porque podem sair feridos ou morrer, aparte a briga e separe os dois o mais rápido possível.

Faça barulhos bem altos

Como dito anteriormente, evite gritar, mas a forma mais simples de separar uma briga de cães é assustá-los com algum barulho bem alto, isso os fará distrair da briga por um momento, para isso você pode bater palmas bem alto, bater o pé no chão, bater uma cadeira no chão, uma lata de alumínio, use algo que fará um som bem alto que assuste os cachorros. Assim que eles se distraírem com o barulho, retire um deles do recinto e não deixe em contato com o outro cão mais. Outra opção também é chamar a atenção fazendo um barulho com apito, costuma fazer um ótimo efeito.

Acalme os dois cachorros após a briga e leve ao veterinário imediatamente. Mesmo que os cachorros só apresentem feridas leves e superficiais, os cachorros disfarçam dor muito bem e podem estar com hematomas internos ou uma hemorragia, que só um veterinário e exames poderão diagnosticar. Para que o cachorro não sofra posteriormente, é melhor levar ao veterinário para uma observação detalhada após a briga.

separar briga entre cães

Jogue água neles

Se de longe fazendo barulhos altos os cachorros não cessaram a briga, você pode se valer de outra técnica que é jogando água neles, nem que seja com uma balde, mas jogar água com mangueira é o mais eficiente. Ao se molharem eles vão também se distrair e você deve entrar em ação para separar os dois cachorros imediatamente.

Jogue uma manta sobre os cachorros

Se a briga acontecer dentro de casa e essas duas alternativas de cima não tiverem surtido efeito você pode pegar uma colcha ou uma manta grande e jogar sob os cachorros, sem ver o que está acontecendo eles vão se distrair e a briga cessará por alguns segundos, você deve ser rápido para retirar o mais rápido possível um dos cães do local.

Outras alternativas para separar uma briga entre cães

Se você não tiver como tentar as opções que demos nos tópicos acima, use qualquer coisa que tiver por perto para colocar entre os cães brigando, nem que seja um cone de rua, um galho de árvore, uma vassoura, uma lixeira ou qualquer coisa para eles se afastarem. Só não coloque o seu braço e sua mão.

Outra forma de apartar uma briga entre cães é puxando eles pelo rabo, mas não com violência e nem com muita força, porque isso pode tirar suas vertebras do lugar e prejudicar a vida inteira do animal.

Um método bem eficiente de separar os dois cães é levantando e puxando um deles pelas patas de trás, arraste ele com as patas levantadas até afastar do outro cachorro. Faça isso com cautela e seja ágil, porque o cachorro pode revidar e te atacar.

Se você não tiver nenhum objeto por perto, nem água e nem os sons altos resolveram e você tiver calçado com um tênis ou bota de couro, coloque o seu pé para apartar a briga, melhor uma mordida no tênis que no seu braço, mas só use essa alternativa se não tiver conseguido nenhuma outra.

Gostaram das dicas de como separar uma briga entre cães? Para dúvidas deixe-nos comentários.

 

Read Full Article