Categoria: Animais de estimação

Ter um animal de estimação via muito além de simplesmente tê-lo em casa. É preciso cuidado, atenção, carinho, tempo e, principalmente, afinidade com o pet. Então, o que define se eu tenho gato ou cachorro em casa? Além do gostar, é claro, questões de saúde, ambiente, espaço, condições financeiras, emocionais e de tempo tão essências antes de escolher um pet.

Para ajudar você a se decidir, selecionamos 10 características caninas e felinas:

Urina de gato fede mais

Gatos já nascem sabendo que a caixa de areia é o banheiro, portanto, é uma grande vantagem para quem não gosta de muita sujeira, mas o cheiro, além de muito forte, é muito desagradável.

Gatos são independentes

Se você passar muito tempo fora de casa, um cãozinho não é boa ideia, pois eles são mais apegados ao dono do que os gatos. Os felinos ao contrário, são mais independentes, sozinhos e não necessitam de atenção 24h por dia, te poupando de ficar brincando e passeando com frequência.

Fidelidade é característica de cães

É ditado popular: cão é fiel ao dono! Sim, essa afirmação é verdadeira, pois mais companheiro que o cachorro não há. Seja ele grande ou pequeno, bravo ou dócil, mas a verdade é que se quer companhia, para qualquer atividade, escolha um cão. Alegria, e extrema felicidade ao ver o dono é coisa que só quem tem um dog em casa pode sentir.

O gato é desconfiado e custa pegar confiança no dono, por isso são mais retraídos.

Tranquilidade e silêncio

Existem raças caninas silenciosas, mas essa é uma característica típica dos felinos. Gatos são naturalmente quietos, a começar por suas patas que ao tocar o chão, não gerando som qualquer. Além do mais, eles só miam quando querem algo ou em caso de relação sexual (que não é dentro de casa ou todo dia, rs). Ou seja, para quem gosta de privacidade e tranquilidade, adote um bichano.

Cachorros latem muito e demandam mais atividade física, principalmente os maiores.

Segurança

Essa qualidade é indiscutível. Quer proteção para sua família, adote um cão cuja raça seja de guarda. Treine e eduque seu cachorro para tal função, e isso não quer dizer deixa-lo agressivo, mas sim atento a quaisquer situações que sejam perigosas.

Os gatos nem do chão vão sair caso um ladrão entre, rs.

É mais divertido ter cão.

A medida que o cão cresce, ele vai criando uma personalidade de acordo com o local onde vive. Então, eles criam manias, jeitos de dormir, locais, têm o cantinho da casa e isso das mais engraçadas maneiras possíveis. Além de serrem mais ativos e te proporcionar mais momentos de diversão.

Já os gatos, mas quietos, vão só se acostumarem à rotina e não muda muita coisa.

Sedentarismo

Dependendo da raça do cão, ele te ajuda a sair do sedentarismo e ter uma vida bem mais saudável. Já o gatinho é mais filme com pipoca na cama mesmo.

Cão e gato podem viver bem juntos, para quem gosta dos dois, é uma ótima opção também.

No final das contas, não importa qual deles você vai escolher! O importante é que ele viva em um lar com cuidados e amor!

E você? Qual dos dois prefere? Conte pra gente nos comentários!

Read Full Article

O mercado de bichos de estimação e de companhia cresce todos os anos no Brasil e, dentro deste mercado, cresce também o número de pessoas interessadas em fazer a criação de animais exóticos e diferentes como o caso dos répteis e dos anfíbios.

Estes animais, no entanto, requerem cuidados bem específicos em relação a outros animais. Neste artigo, mostraremos algumas dicas sobre os cuidados básicos para se criar uma iguana e como manter a saúde adequada deste animal.

Como cuidar da sua iguana?

A criação de animais exóticos, como os répteis e anfíbios, é bastante difundida nos EUA, na Europa e no Japão, já iniciando também nos países em desenvolvimento. No Brasil, muitas pessoas já buscam desenvolver negócios de criação destes animais ou mesmo decidir ter alguns deles em casa como bichos de estimação.

Apesar de muitos destes animais parecerem hostis, na verdade, eles são de grande afetividade e são facilmente domesticáveis. Existem muitas vantagens em se ter um destes animais, tais como o tempo de sobrevivência, que é grande, além de serem baixos os custos de manutenção e de espaço para a criação destes.

Já existem muitos produtos e profissionais no mercado especializados na criação de répteis e anfíbios, ajudando bastante na escolha por se criar um destes animais, como é o caso da iguana, que é um dos répteis mais procurados.

Veja, a seguir, algumas dicas para você conseguir cuidar da sua iguana e saiba quais são os cuidados básicos mais importantes:

Tenha cuidados básicos com a higiene:

Da mesma forma que outros animais, é importante manter a iguana com a higiene adequada, evitando-se qualquer tipo de problema ou doença. As iguanas mudam a pele com bastante frequência, portanto é importante se manter a umidade do ambiente adequada para este processo.

Para ajudar nesta troca, dê banhos regulares na iguana de tal forma que o corpo fique totalmente submerso na água. Outra questão fundamental é aparar as garras da iguana quando for necessário. Caso você não saiba fazer esta tarefa, solicite a ajuda de algum profissional.

Sempre lave as mãos antes e depois de pegar sua iguana, evitando, assim, a transmissão de qualquer agente patogênico;

Tenha cuidados básicos com o ambiente:

As iguanas precisam de água sempre limpa e fresca. Faça a reposição, preferencialmente, todos os dias. A limpeza do local em que a iguana fica também é muito importante, sendo necessária a retirada de resíduos ou restos de alimentos que não foram comidos pelo animal.

O tanque em que fica a iguana deve ser limpo, com alguma solução apropriada, periodicamente, por pelo menos uma vez por semana. A iguana precisa ficar em locais seguros, portanto, após a limpeza, faça toda a retirada de qualquer substância química, evitando prejudicar o animal;

Conclusão

As iguanas são répteis de fácil criação e adaptação doméstica, sendo ótimas opções de bichos de estimação por seu perfil afetivo e também pelos baixos custos de manutenção. Siga estes cuidados básicos para manter a saúde da sua iguana sempre em dia.

Continue conosco nos próximos artigos e deixe aqui seus comentários ou dúvidas. Até mais.

Read Full Article

Os pássaros são animais de grande beleza e variedade de cantos e cores. No Brasil, existe uma diversidade enorme de espécies de pássaros e muitos deles podem ser criados facilmente. Porém, para se garantir a saúde destes animais e também ajudar em sua qualidade de vida, é importante se entender como cada espécie funciona e quais os cuidados necessários na rotina.

Neste artigo, mostraremos algumas dicas sobre os cuidados básicos para criar as calopsitas e como manter a saúde destes pássaros de maneira adequada.

Como cuidar da sua calopsita?

As calopsitas são pássaros originários da Austrália, sendo de fácil criação e podendo sobreviver por, aproximadamente, 20 anos. Elas são bastante inteligentes e podem ser facilmente treinadas para cantar e até reproduzir algumas frases.

Veja, a seguir, algumas dicas para você conseguir cuidar da sua calopsita e saiba quais são os cuidados básicos mais importantes:

Tenha cuidados básicos com a alimentação:

Cada espécie de pássaro precisa de um tipo de alimentação. Existem produtos específicos para as calopsitas, contendo ingredientes naturais e completos em termos de nutrientes. É importante buscar produtos que realmente tenham qualidade de matéria-prima e também que contenham quantidades corretas em termos de nutrição.

Muitos produtos são ricos em antioxidantes, em prebióticos, em nucleotídeos, entre muitas outras substâncias que ajudam não só a nutrir o pássaro como também a fortalecer o sistema imunológico das calopsitas e também ajudam no equilíbrio do metabolismo.

Evite produtos que contenham muitas substâncias artificiais, tais como os corantes e os conservantes. Além disso, evite outros tipos de alimentos além da ração. Utilize as frutas e legumes somente em alguns casos, não passando de duas vezes por semana e também sempre colocando em pequenas quantidades;

Tenha cuidados básicos com o ambiente:

Os locais onde os pássaros ficam e também o ambiente em que são criados é de fundamental importância para a saúde das calopsitas. A gaiola deve ter um tamanho mínimo, sendo confortável e com espaço para que possam voar, devendo também ser colocada em algum local protegido de ventos e mudanças de temperatura.

Outra recomendação é usar poleiros com diâmetros diferentes dentro das gaiolas, para evitar um possível problema de atrofia nos pés dos pássaros. Deve-se evitar também locais com excesso de barulho ou mesmo situações que possam vir a deixar as calopsitas estressadas. É recomendado se ter sempre um casal, evitando-se a criação da calopsita sozinha.

Outra questão bastante importante é a limpeza da gaiola que deve ser feita de maneira a evitar o contato das calopsitas com os resíduos de alimentos ou com as fezes. Mantenha a bandeja do fundo sempre limpa, diariamente, assim como os bebedouros, os comedouros e os poleiros, fazendo também uma higienização com solução de cloro a cada 15 dias em todos os itens da gaiola;

Conclusão

As calopsitas são pássaros de beleza exuberante, sendo de fácil criação e também sendo facilmente treinadas. Para manter as calopsitas sempre com saúde e vida prolongada, basta seguir estas dicas sobre alguns cuidados básicos do dia a dia.

Continue conosco nos próximos artigos e deixe aqui seus comentários ou dúvidas. Até mais.

Read Full Article

Se você nasceu nos anos 90 provavelmente vai se lembrar de um dos hamsters mais famosos dos desenhos animados: O Hamtaro! O animal se popularizou muito quando o desenho era exibido no Brasil, e foi aí que muitas pessoas ficaram conhecendo os hamsters, esse roedor simpático e divertido!

Eles são animais que exigem menos cuidados, se comparados aos cachorros, por exemplo. Algumas espécies podem viver até três anos e meio, dependendo do cuidado que você tiver com ele. Continue lendo para saber mais sobre os cuidados com o animal!

O que é um hamster?

O hamsters são um pequeno roedor com hábitos diurnos, eles possuem dentes de crescimento contínuo, e por isso sempre precisam de algo para “desgasta-los”.

Eles são animais que comem de tudo que acham, mas se você quer criar um hamster deve alimenta-lo apenas com ração própria para ele, nada de restos de comida ou ração de outros animais. Possuem audição e olfato muito apurados, mas a sua visão é pouco desenvolvida.

Nascem cegos e, quando adultos, não conseguem ver mais longe do que alguns centímetros em frente ao seu nariz. Isto faz com que um hamster não perceba quando um predador se aproxima. Por isso também não é recomendado que se use gaiolas altas com vários níveis, pois uma queda grande pode dar origem a ossos à morte do animal.

Onde comprar acessórios para Hamster?

Recebemos várias mensagens dos nossos leitores perguntando onde comprar acessórios para Hamster e nesse caso indicamos a PetLove.

A loja é considerado o maior petshop do Brasil, e conta uma infinidade de produtos para para roedores, que vão desde gaiolas, roupinhas, camas, ninhos, até mesmo alimentação! Se você está busca de acessórios para o seu animalzinho, recomendamos que você acesse o site da PetLove e confira os preços e condições de entrega! Eles possuem ótimas ofertas!

Alimentação

Os hamsters se alimentam basicamente de ração, e esse é de fato o alimento mais adequado para eles. Em relação os petiscos, eles adoram comer legumes e frutas, e esses alimentos podem ser dados para eles esporadicamente. Porém, alguns alimentos são proibidos, como por exemplo: chocolate, frutas cítricas, carne, frituras, entre outros.

Outra questão importante é que o seu hamster sempre deve ter água limpa e fresca a sua disposição.

Água e comida precisam ser trocadas diariamente para que não fiquem velhas, causem mau cheiro e atraiam outros animais.

hamster

Higiene

A higiene dos hamster quase que se baseia em apenas fazer a limpeza da gaiola entre duas e três vezes por semana. Você também pode colocar serragem no fundo da gaiola do seu bichinho, para deixar o lugar mais confortável e limpo para ele. Porém, é preciso lembrar de trocar essa serragem a cada limpeza.

Outra questão importante é que você nunca deve dar banho no seu bichinho, já que isso pode colocar a sua saúde em risco. Porém, caso você manuseie muito o seu animal, você pode colocar um pozinho específico para banhos de roedores na gaiola para ele se limpar. Esse pó você encontra em pet shops.

Comportamento

Em geral os hamsters são animais dóceis e sociáveis. Eles não se importam que você o pegue e brinque com ele, porém isso deve acontecer de maneira moderada e com alguns cuidados. Por exemplo, na hora de pegá-lo, espere que ele venha até a sua mão, atraindo-o com um petisco, que pode ser um pequeno pedaço de cenoura. Também não é interessante carregar o animal de uma altura muito elevada, já que ele pode se assustar e pular.

Uma prática que pode fazer o seu hamster feliz é dar brinquedos para ele. Você pode colocar uma rodinha na gaiola para ele se exercitar. Porém não é recomendado trocar o ambiente dele com frequência, evitando assim que ele fique estressado.

Outra questão importante é que eles são animais de hábitos noturnos, por isso não é interessante que a gaiola fique dentro dos quartos, pois o barulho pode atrapalhar o seu dono a dormir.

Gestação

As fêmeas dos hamsters entram em idade reprodutiva aos quatros meses, e no caso dos machos aos três. A fêmea entra no cio a cada quatro dias em média, e ele pode durar entre quatro e 24 horas. Os filhotes nascem com aproximadamente 21 dias, e a média é de oito bebês por gestação.

Preço

Os hamsters são facilmente encontrados em lojas de animais, e os seus preços variam muito de acordo com a raça e cor do animal. Porém, eles são vendidos a partir de 10 reais nas grandes cidades.

Em geral, o custo com o seu hamster é muito baixo, já que ele não necessita de visitas ao veterinário e a sua alimentação é muito barata.

Muitos pais, quando os filhos pedem um animal de estimação, optam por um hamster no lugar de cães e gatos, por ser um animal de pequeno porte ele ocupa menos espaço e pode ser até mais fácil para cuidar, fazendo com que essa responsabilidade seja das crianças. Mas você sabe quanto custa ter  um hamster?

Benefícios de ter um Hamster

O hamster tem uma expectativa de vida curta, entre dois e três anos, mesmo assim existem vários motivos e benefícios em se ter uma hamster. Confira alguns:

  • O gasto mensal com um hamster é menor do que com outros animais, basicamente só se gasta com a serragem que fica na gaiola e com a ração própria para hamsters.
  • O Hamster não precisa da atenção a toda hora, como levar para passear, nem de banho. Você pode trocar comida e agua durante a noite.
  • O espaço que o hamster ocupa, é bem pequeno, dependendo da gaiola, ele pode ser colocado no quarto, sala, ou seja, não ocupa muito espaço, porém não é recomendado coloca-lo no quintal menos ou em lugares onde ele possa entrar em contato com animais silvestres ou não domésticos.
  • O hamster come pouco, bebe pouco, coloque uma boa roda na gaiola para que ele possa se exercitar, e compre alguns brinquedinhos de morder que não custam caro, pois ele precisar gastar os dentes.

Mas enfim, quanto custa ter um hamster?

Primeiramente você deve saber, que diferente de alguns animais que pode ser adotados, os hamster são vendidos, o preço varia entre R$ 5 e R$ 15 reais. A vida do hamster é curta, então é bom que compre um com poucas semanas de vida. Os hamsters devem ficar em gaiolas, a escolha é puramente pessoal, então você pode encontrar algumas mais simples, de R$ 25 reais, até mais elaboradas de R$ 150 reais.  Você pode comprar um bebedouro, que custa no máximo R$ 15 reais, ou usar alguma vasilha que você tenha em casa.  Algumas gaiolas já vêm com o bebedouro incluído no preço. Esses são os primeiros gastos com o hamster, a maioria das coisas citadas não precisaram ser substituídas em pouco tempo.

Agora alguns gastos que você terá com mais frequência, que dependerá de quantos hamsters você irá ter. A comida é uma mistura de sementes que custam em média R$ 6 reais o quilo.  E por fim, a serragem, que fica na gaiola do hamster, deve ser trocada mais vezes, porém um saco que dura entre 20 e 30 dias custa R$ 5 reais.

Se você tem vontade de ter um hamster, que tal conhecer também algumas raças desses bichinhos? Vamos falar das principais a seguir:

Hamster Chinês / Hamster Anão Russo

hamster

O hamster chinês (hamster anão russo) é a raça mais comum no Brasil, mesmo ele sendo originário dos desertos da China e Mongólia. A sua expectativa de vida é de 2 a 3 anos, e eles podem pesar até 75 gramas. Bem pequenos, não é?

Para identificar os animais dessa raça é bem simples, bastando observar a sua coloração. Os hamsters chineses geralmente possuem em listra de pelos mais escura.

Hamster Sírio

hamster sirio

O Hamster Sírio é um pouco diferente do Hamster Chinês graças ao seu tamanho. Isso porque eles podem chegar até 150 gramas, em média. Além disso, a cor dos seus pelos também é diferente, já que eles geralmente são apresentam pelos mais claros. Porém, alguns criadores também já relataram o nascimento de hamster sírios pretos, mas não é muito comum.

Hamster Panda

hamster panda

Como o próprio nome já indica, os hamster panda possui a coloração muito parecida com a de um urso panda, e por isso ele também é conhecido como hamster urso. Não é uma variação muito fácil de ser encontrada, e eles também possuem o tamanho um pouco maior que os hamsters chineses.

E então? Gostou da ideia de ter um hamster? Conte pra gente nos comentários o que você achou do artigo de hoje!

Read Full Article

O roedores estão invadindo a casa dos brasileiros! Mas não se preocupe, não estamos falando dos ratos e sim dos hamsters e chinchilas. Você ainda não conhece esses animaizinhos? Então continue lendo que hoje vamos te apresentar a chinchila, esse animal simpático e fofinho, que já foi muito procurado para a produção de casacos de pele graças ao seu pelo sedoso e macio.

Alimentação

A alimentação das chinchilas é basicamente composta por ração própria pra esse animal, já que o seu sistema digestivo é bastante sensível, e seu alimento deve ser balanceado. A ração geralmente já possui todos os nutrientes que a chinchila necessita. Elas comem, em média, 30g de ração por dia e seu e água alimento deve ser trocado todos os dias. É preciso ter cuidado para não deixar a gaiola com restos de comida para que não atraia outros animais e não cause mau cheiro.

Já em relação aos petiscos, não é recomendado dar todos os tipos de alimento para o animal. Está liberado alimentá-lo apenas com maçã sem casca e uva passa.

Higiene

Em comparação com coelhos e hamsters, as chinchilas são animais bastante asseados, tanto que a proliferação de carrapatos e pulgas nesses animais acontecem com muita raridade.

Seu banho não deve ser feito com água e sim com uma substância chamada carbonato de cálcio, um pó branco, fino e antisséptico. Assim, o pelo da chinchila fica limpo e livre de gorduras.

A gaiola precisa ser limpa pelo menos duas vezes por semana, incluindo a lavagem do bebedouro e comedouro do bichinho.

Reprodução

A chinchilas se reproduzem em qualquer época do ano, sendo que ela entra no cio a cada 28 dias e cada cio dura cinco dias. Os filhotes nascem com 111 dias a partir da gestação, variando entre um e seis filhotes.

Alguns aspectos podem indicar que a sua chinchila está prenha, como por exemplo:

  • Pouca atividade: O animal passa a se movimentar menos
  • Perca de peso nos primeiros dias da gestação
  • Aumento do tamanho do abdome
  • Aumento das glândulas mamárias

Outra questão importante sobre a reprodução das chinchilas é que é relativamente comum que a fêmea coma seus filhotes. Isso pode ser extremamente assustador para crianças que presenciem a cena. Por isso é bom ficar sempre acompanhando o animal logo após o nascimento dos filhotes.

Tempo de vida

Antes de comprar um chinchila você também precisa estar atento ao tempo de vida estimado do animal, que é de, em média, 13 anos.

Preço

Os valores podem variar muito, a depender da região que você reside. Mas de forma geral, os preços variam entre 65 e 100 reais.

Porém, ao adquirir um animal você também tem de levar em consideração gastos com uma gaiola espaçosa e arejada, alimentação e possíveis consultas ao veterinário.

Read Full Article