Categoria: Animais de estimação

Nós brasileiros temos o costume de possuir animais de estimação para nos fazer companhia. A principio animais não ficavam em casa, e por isso que morava em apartamento acabava não podendo ter esses animaizinhos por falta de espaço para cria-los. Contudo, ao longo do tempo foi se tornando comum a criação desses bichos em locais pequenos como casas e apartamentos. Os gatos e os cachorros são os animais de estimação preferidos para se criar em casa. Porém, os papagaios e periquitos também começaram a conquistar o seu lugar, assim com a cobra de estimação, que

Mas por que não ser mais ousado e possuir outro tipo de animal de estimação? Um que seja mais exótico, como as cobras? É isso mesmo, antes poderia até ser extremamente assustador pensar em possuir uma cobra de estimação não é mesmo? Mas hoje isso vem se tornando mais comum do que se imagina. A cobra esta virando o novo “cão de estimação”.

Para se criar cobras não é necessário um espaço muito grande. Até mesmo em apartamentos é possível criar esse animal. Contudo, as cobras possuem algumas características que as impedem de serem domesticada com tanta facilidade, e por isso, antes de possuir uma cobra de estimação você precisa ficar atento a algumas coisas fundamentais para a sua criação.

Continue lendo esse artigo e veja a seguir tudo o que você precisa saber antes de comprar uma cobra de estimação.

Quanto custa ter uma cobra?

Se você deseja comprar uma cobra de estimação, é necessário que você tenha em mente que uma cobra não é tão barato como um cachorrinho, visto que ela é mais exótica e mais difícil de conseguir. Não é possível dizer qual o valor exato de uma cobra de estimação, visto que o seu preço varia conforme sua espécie e sua raridade. No entanto, é possível dizer que uma cobra de estimação custa em média cerca de 1.500,00, sendo que esse valor pode alterar consideravelmente conforme a espécie escolhida.

Porém, ter uma cobra de estimação não é simplesmente comprar e esta tudo resolvido. Para que você dê a sua cobra de estimação o habitat adequado para sua sobrevivência, você gastará, mais ou menos 3.000,00, sendo que esse valor é o valor aproximado para uma cobra que custe cerca de 1.500,00. Por isso, se você deseja ter uma cobra de estimação, será necessário “abrir a mão” para conseguir adquiri-la.

Precisa de licença do Ibama para ter uma cobra de estimação?

Sim, se você deseja ter uma cobra como animal de estimação e necessário que você realize um cadastro no IBAMA – Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos recursos naturais renováveis, para que você possa ter uma cobra de estimação de maneira legal, visto que, quando a cobra de estimação não possui autorização, você pode ser indiciado por contrabando de animais silvestres.

Não é muito difícil conseguir uma legalização para se ter uma cobra de estimação, porém é necessário que você cumpra todas as leis necessárias para o bem estar dessa espécie.

Ela ataca o dono?

É comum muitas pessoas terem dúvidas se uma cobra de estimação pode atacar seu dono, e a resposta é sim. Por mais assustador que seja, as cobras, mesmo quando criadas desde pequenas por um único dono, pode ataca-los ao longo de sua vida. Isso acontece por que as cobras não conseguem distinguir muito bem as pessoas, e por serem animais selvagens, é de sua natureza atacar quando necessário, por isso, ao escolher uma cobra como animal de estimação é necessário tomar todos os cuidados possíveis para que você e sua família não corram nenhum risco de vida.

Já foram relatados diversos casos de cobras que atacam e estrangulam seus donos os familiares. Não é regra, mas é bom prevenir.

cobra de estimação legalizada ibamaQuais os cuidados?

Para ter uma cobra como animal de estimação é necessário tomar alguns cuidados, para que nem você nem sua família corram riscos ao criar esse animal. Veja a seguir alguns desses cuidados:

  • Informe-se sobre sua cobra;
  • Verifique bem ela antes de realizar sua compra, para ter certeza que ela esta saudável;
  • Compre uma casa adequada para sua cobra;
  • Procure saber qual o alimento é o ideal para sua cobra;
  • Não compre por impulso.

Ao tomar esses cuidados você consegue garantir que terá um animal adequado para o que deseja e diminui as chances de correr algum risco de ser atacado.

Read Full Article

Muito tem se ouvido falar do Mini Porco, mas novo pet favorito das celebridades e das crianças. Com a sua fama cada vez maior, vem surgindo interesse em outros pets exóticos. Um deles é a Mini Cabra, que era muito presente em fazendas, hotéis fazenda e locais rurais recreativos para crianças, mas que agora tem virado um novo interesse como animal de estimação. Quer saber mais sobre ela? No post de hoje vamos dar todas as informações sobre a Mini Cabra, pra você decidir se esta é uma boa opção para você.

Animais de estimação diferentes

Mini porcos, cães de raças exóticas, cobras, chinchilas e outros animais diferentes, vem ganhando o coração daqueles que querem pets fora do comum. Um desses animais, que vem ganhando cada vez mais espaço como animal de estimação, são as Mini Cabras.

A onde de pets exóticos tem crescido muito. Isso se deve em grande parte as celebridades, que tem escolhido esse tipo de animal de estimação. Dessa forma a moda se espalha e a procura aumenta. No caso da Mini Cabra, sua popularização aumentou, devido a popularização do Mini Porco. Um a vez que  a procura pela versão mini do porco aumentou, as pessoas começaram a buscar por outros animais Minis.

Mini Cabra

Por que ter uma Mini Cabra?

As Mini Cabras são animais muito dóceis e amáveis. Inclusive esse animal é muito utilizado em parques rurais para crianças, assim como também em hotéis fazenda. Alguns tratamentos para crianças com deficiência física e mental, fazem uso de terapia com as Mini Cabras, justamente por serem mansas e se darem bem com crianças.

São animais alegres e divertidos. Gostam de brincar e são bastante ativos. Outra vantagem é que elas são tão inteligentes quanto os cães e os porcos. Além disso, devido ao seu tamanho e ao seu tipo de alimentação, você gasta muito pouco para alimenta-lo.

Qual o tamanho e o peso de uma Mini Cabra?

Um Mini Cabra adulta tem geralmente entre 30 e 40 centímetros. A especie Mini raramente passa disso. Quanto ao peso, na fase adulta elas podem pesar entre 20 e 28 quilos, se alimentadas da maneira correta.

Melhor ter um macho ou uma fêmea?

As fêmeas dessa especie geralmente são mais doceis e se estressam com menos facilidade. Além disso, o macho possui um odor muito característico, que pode vir a incomodar. Por isso, no caso de se escolher um macho como pet, ele deve ser castrado antes de se tornar sexualmente maduro.

Mini Cabra

O que elas comem?

As Mini Cabras são animais ruminantes. Ou seja, se alimentam de “mato”. Para manter sua cabra saudável e sempre ativa, você deve alimenta-la com capim fresco (não é aquele capim que você encontra na rua) e ração à base de milho e soja. Você também precisa incluir na alimentação da sua cabra sal mineral. O sal mineral é essencial para a saúde e bom desenvolvimento da Mini Cabra.

É preciso se manter sempre atento a alimentação da sua cabra. Excesso de alimentação desse animal pode causar intoxicação e levar até a morte do animal.

Posso ter em apartamento?

Não é o ideal. Cabras são muito ativas. Estão sempre pulando e indo de um lugar para o outro. Elas precisam de um certo espaço para viverem tranquilas e se manterem ativas.

O ideal é que você more em casas com terreiros com um bom espaço, ou que possua um sitio com grandes áreas.

Cuidados necessários com a Mini Cabra

Ao adquirir uma cabra com a intenção de cria-la como pet, você deve castra-la antes que ela fique sexualmente madura, principalmente se for um macho. Isso irá contribuir para a saúde do animal.

Você também deve manter as vacinas recomendadas para o animal sempre em dia, principalmente a vacina de raiva,  assim como sempre vermifugar o animal.

Como elas são susceptíveis a pneumonias, é necessário que elas tenham uma casinha, que sirva como abrigo e refúgio do frio e da chuva.

É necessário que você crie uma rotina de consultas ao veterinário, para acompanhar a saúde do seu animal, pois as cabras podem ser postadoras de tuberculose e a toxoplasmose, doenças que podem ser passadas para o ser humano.

Mini Cabra

Desvantagens da Mini Cabra

  • Elas podem destruir seu jardim rapidamente
  • São fortes e podem arrebentar cetas cercas
  • Você precisa se atentar bem alimentação
  • Podem ser bem barulhentas
  • Caso você adquira apenas uma cabra, ela pode se sentir solitária, uma vez que são animais de bando.

Onde comprar?

O mais importante na hora de comprar sua Mini Cabra é conferir se o local da venda é confiável. Se as vacinas do animal estão em dia e se ele foi bem tratado enquanto esteve aos cuidados deles.

Elas são vendidas por fazendas especializadas em animais mini e por criadores da especie. Você também encontra esses animais sendo vendidos no Mercado Livre. Mas antes de comprar, sempre verifique as referências do vendedor.

Qual o preço?

A Mini Cabra hoje é vendida com preços entre R$ 800 e R$ 2.000. Varia muito de lugar para lugar e também da idade do animal.

Gostou das nossas dicas de hoje? Deixe seu comentário!

Read Full Article

Você encontrou a pessoa que considera sua alma gêmea e embarcou em uma relação, mas não faz ideia de como fazer um pedido de namoro especial que seja impossível da sua pretendente dizer “não”? Isso é simples, e o seu animal de estimação pode ser o segredo e o grande ajudante do momento.

Fazer o pedido de namoro usando seu animal de estimação pode ser a melhor forma de garantir uma resposta positiva da sua pretendente. A ideia é fazer seu cachorro, gato, tartaruga ou outros participar desse momento especial, seja ao entregar as alianças de compromisso ou literalmente fazendo esse pedido por você.

Mas como assim, fazendo o pedido por você? Se você não tem ideia de como é possível fazer um pedido de namoro com o animal de estimação, confira dicas.

pedido de namoro usando animais de estimação

Placa “Quer ser minha Dona” no pescoço do pet

Um dos pedidos de namoro mais comuns usando seu cachorro é realizado com o auxílio de uma placa. A ideia é que a placa esteja escrita com a frase “quer ser minha dona”, onde o cachorro pode andar com a mesma pendurada a partir do pescoço, ou segurando a mesma com sua boca. Uma idéia criativa e romântica.

Coloque uma aliança junto com a coleira do cachorro

Outra ideia criativa para fazer o seu cachorro participar do pedido de namoro é colocar a aliança de compromisso junto com a sua coleira, como se ela fosse um pingente do pet. Depois é só pedir para a pretendente analisar o novo pingente do cachorro e obviamente, fazer o típico pedido enquanto ela confere a aliança.

Vista o seu gato com uma roupa bem especial

Uma ideia interessante é colocar uma roupa em seu gatinho de estimação. Essa roupa precisa ser diferente do comum, afinal a ideia é que o pet te ajude a fazer o pedido de namoro. Nesse caso, separe uma roupinha e estampe na mesma a frase que diz “quer namorar comigo” e o faça mostrar seu visual à pretendente.

Amarre a aliança de compromisso no casco da tartaruga

Está certo que não é muito comum as pessoas usarem tartarugas de estimação para ajudá-los na hora de fazer um pedido de namoro, mas se você tem uma, é o momento de fazê-la participar deste momento. Amarre a aliança em volta do casco da tartaruga e faça a mesma andar até a pretendente para fazer o pedido.

Esses pedidos além de criativos, também passam a ser muito românticos, sendo a alternativa ideal para que a sua pretendente aceite rapidamente o pedido. No entanto, para um pedido de namoro especial é crucial ter uma aliança que faça representação da relação, neste caso, veja as alianças de namoro da Rubi.

Read Full Article

A famosa guerra de cães e gatos vem de muito tempo. Instintivamente esses animais nascem com diferenças de personalidades que fazem com que sejam projetados para “não se darem bem”. Os gatos que geralmente são menores e frágeis, quando se deparam com um cachorro, se sentem em perigo e fogem para se sentirem em segurança. Do outro lado, os cachorros são caçadores natos e vão atrás de qualquer coisa em movimento. Isso faz com que os dois, na maioria das vezes, não se relacionam de forma pacífica. Mas isso não é regra! Existem muitos gatos e cachorros que se dão muito bem e dividem uma vida tranquila e de amizade. Então como fazer meus cães e gatos serem amigos? Não é um bicho de sete cabeças, mas requer paciência e dedicação!

Como fazer meu cachorro e meu gato serem amigos?

Como em muitos costumes, os animais podem mudar formas de viver conforme for ensinado. É possível treinar os bichinhos para que eles sejam grandes amigos ou pelo menos tolere a presença um do outro sem brigas e machucados.

  • Filhotes

Levar cães e gatos ainda filhotes para conviverem é a forma mais fácil de criar um vínculo de amizade entre os dois. Como ambos estarão ainda dóceis, frágeis, carentes e brincalhões, eles aprendem a ver um ao outro como o mesmo tipo de animal. Assim, você poderá alimentá-los juntos, promover brincadeiras e colocá-los até para dormirem juntos. Isso também auxilia na questão do ciúme, pois como eles irão chegar no mesmo momento, não terão o sentimento de que outro membro chegou para tirar a atenção.

Aproximação cuidadosa e aos poucos

Se a sua situação for introduzir um gato/cachorro na vida um do outro quando eles estiverem mais velhos, a aproximação deve vir aos poucos e com cuidado. Como nessa situação, seja o cachorro ou o gato, provavelmente irão sentir o seu espaço invadido, a chance de um se hostilizar com o outro é grande. Então não adianta forçar deixá-los juntos, porque isso só pode promover mais brigas e estranhamentos.

  • O ideal é deixar cada um em cômodos separados por uma porta por pelo menos uns dois dias. Assim, eles sentirão o cheiro um do outro de forma mais sutil para se habituarem a presença.
  • Depois desses dias, comece a colocar os dois no mesmo ambiente com sua supervisão. Coloque uma coleira no seu cachorro para controlar seus impulsos. Aproxime os dois e observe como eles irão reagir. Eles podem se cheirar e ficar tranquilos; o cachorro pode latir e o gato se assustar; o gato pode mostrar os dentes, ficar com o pelo ouriçado e assustar o cão.
  • Independente da reação de ambos, continue fazendo isso sempre até que eles percebam que vão ter que conviver um com o outro.

Dê atenção para o primeiro animal da casa

Uma dica importante é de dar bastante atenção para o animal que estiver primeiro na casa. O estranhamento pode ocorrer boa parte porque o bichinho começa a se sentir trocado e com ciúmes. Se ele perceber que a presença do outro animal não irá afetar no tratamento dos donos com ele, provavelmente ficará menos arisco e mais aberto a nova companhia.

Mostre que os dois têm importância

Uma boa forma de mostrar que a presença do outro animal não exclui o outro, é quando o gato aparecer no ambiente, faça carinho no seu cachorro, dê um petisco. Repita por alguns dias para que o cachorro entenda que a presença do gato no lugar faz com que ele ganhe coisas boas. Depois, faça o mesmo com seu gato: quando o cachorro estiver perto, faça carinho no seu bichano, alimente com comidinhas. Desta forma ambos começarão a ligar a presença um do outro com coisas boas.

Separe os itens de cada animal

Fazer com que cada um sinta que tem seu espaço é importante para fazer que o cachorro e gato sejam amigos. Então, mantenha o lugar de dormir, comer e fazer suas necessidades do primeiro animal no mesmo local de sempre. Assim ele não sentirá que o outro bicho está “tirando” seu lugar.

Faça brincadeiras com os dois

Como fazer meu cachorro e meu gato serem amigos sem uma boa brincadeira não é? É ali que a guarda abaixa e o divertimento as vezes supera as diferenças. Você deverá começar aos poucos, como quem não quer nada. Um bom exemplo é jogar uma bolinha de papel para o gato, e na mesma hora jogar uma bolinha de borracha para o cachorro. Outra boa ideia é pegar aquele bastão com barbante e um objeto na ponta e começar a mexer. Ambos irão começar a pular para pegar o objeto e quando menos perceberem estão brincando juntos.

 

Eaí, você tem cães e gatos? Tem mais dicas? Conta pra gente!

 

Read Full Article

A diabetes é uma doença que muda completamente o estilo de vida de nós seres humanos. Sem cura, o tratamento é feito apenas para o controle da doença. Com os animais não é diferente, infelizmente os cães também sofrem com esse mal. Diabetes em cachorros é tão grave quanto é para nós, então é importante estar atento aos sinais que seu animal mostra e sempre cuidar bem da alimentação e estilo de vida.

Neles também podem vir em dois tipos:

  • Tipo I: quando o corpo não produz insulina suficiente (é a mais recorrente nos cachorros).
  • Tipo II:  quando o corpo perde sua capacidade de usar a insulina eficazmente para processar açúcares.

Sem a insulina, não é possível mover a glicose do sangue para as células do corpo para produzir a energia correta. Então com a sua ausência, o organismo precisa usar de outros membros para dar energia ao corpo. Assim desencadeia outros problemas de saúde.

Diabetes em cachorros: como surgem

Existem alguns fatores que podem fazer com que o cachorros tenham diabetes:

  • Fator genético (o cão nasce com a propensão à doença e a má alimentação ajuda no aparecimento do diabetes);
  • Obesidade;
  • Imunomediados: isso significa que o sistema imunológico do cão trabalha contra o pâncreas à medida que este tenta produzir insulina.

Há ainda, alguns fatores que fazem com que os cachorros estejam mais propensos à doença.

  • Estar entre 7 e 9 anos;
  • Fêmeas;
  • Raças como: Samoyeds, terriers australianos, schnauzers miniatura, pugs, poodles miniatura e poodles toy;
  • Cães que tiveram diversos episódios de pancreatite.

Remédios para cachorros

Se você precisa comprar remédios para seu cachorro, mas quer encontrar os melhores preços e fazer isso sem enfrentar filas, você pode encontrar uma infinidade de medicamentos na PetLove clique na imagem e confira as promoções.

 

Diabetes em cachorros: sintomas

Um dos sinais mais comuns, são:

  • Mais sede e uma maior frequência para urinar;
  • Aumento do apetite mas com uma grande perda de peso;

Quando a doença começa a crescer pela falta de tratamento, os cachorros podem ainda desenvolver outros problemas de saúde que indicam a diabetes:

  • Catarata (olhos opacos e perda da visão);
  • Doença de Cushing (hiperadrenocorticismo);
  • Infecções do trato urinário;
  • Hipotiroidismo;
  • Pancreatite aguda;
  • Câncer.

Diabetes em cachorros: tem tratamento?

A primeira coisa é diagnosticar corretamente a doença através de uma consulta veterinária. Eles farão exame de urina e sangue para detectar a presença alta de glicose em ambos. Com a confirmação, é feito novos exames para saber qual o tipo, gravidade, etc. E só um veterinário pode indicar o tratamento dosado para o seu cachorro. Mas os tratamentos indicados geralmente são:

Exercícios

A prática diária de um exercício físico é indispensável no tratamento. É importante também criar uma rotina de atividade física igual todos os dias, pois através disso que o veterinário saberá o quanto de insulina será necessário aplicar. A quantidade de insulina necessária no organismo está diretamente ligado ao quanto de energia o cão gasta.

Dieta

Como na atividade física, a dieta também influencia na dose necessária de insulina a ser aplicada. Então é ideal manter uma alimentação regrada todos os dias, a mesma quantidade e nos mesmos horários.

Insulina

Como citado, a questão da alimentação e do exercício influenciam muito nas doses da insulina. Então é feita uma observação minuciosa de todos os fatores, o que pode demorar de algumas semanas até dois meses e vários testes de laboratório para encontrar a dose de insulina mais apropriada para seu cão.

Monitoramento caseiro

É importante que dono aprenda com o veterinário como acompanhar os níveis de açúcar do seu cão diariamente. Você pode fazer isso através do monitoramento em um monitor de glicose que medirá o nível de açúcar no sangue. É utilizada uma pequena lanceta para perfurar a pele e retirar uma pequena quantidade de sangue. Essa lanceta é puxada para dentro do dispositivo e na tela é mostrada a concentração de glicose na amostra.

Diabetes em cachorros: como evitar

A melhor forma de evitar a diabetes em seu cachorro é controlando a alimentação e atividades físicas. Uma dieta equilibrada e exercícios como passeios e brincadeiras, ajudam a manter o corpo do cão trabalhando corretamente e evitando o aparecimento da diabetes.

Diabetes em cachorros: rações especiais

Existem algumas rações especiais que te auxiliam na dieta regrada para seu cão com diabetes:

  • Ração Guabi Natural Cães Diabéticos: 1 kg por R$33,90
  • Balanceada para garantir a ingestão adequada dos nutrientes e promover uma menor oscilação da glicemia;
  • Combate os radicais livres;
  • Ajuda a regular o trânsito intestinal.
  • Ração Royal Canin Canine Veterinary Diet Diabetic para Cães Adultos com Diabetes: 1,5 kg por R$69,99
  • Glucomodulação: Formulação específica para ajudar a diminuir as variações da glicemia pós-prandial dos cães diabéticos.
  • Alta Proteína: Um teor protéico elevado assegura um fornecimento equilibrado de glicose para cães diabéticos.

 

Read Full Article

Quando a idade vai chegando, é normal se sentir mais solitário. Os filhos geralmente já não moram junto, uma família que era cheia de gente se esvazia. Ainda há os casos de separação e morte do cônjuge que faz com a solidão chegue de forma mais intensa. Nesses casos, os animais são ótimos companheiros e funcionam, muitas vezes, como parte da família mesmo. Gatos e idosos é uma junção que tem tudo para ser positiva e ser uma relação que proporciona segurança, afeto e contato sensorial.

Os gatos são uma boa companhia para idosos?

Com certeza, sim! Gatos e idosos na mesma casa trazem vários benefícios para a vivência da pessoa mais velha. Ter um gato em casa, para os idosos, pode diminuir a solidão, ajudar a reduzir o estresse e motivar a prática de exercícios ou brincadeiras.

Gatos dão significado e propósito à vida do idoso

As vezes por se sentirem tão só e ver que a maior parte da vida já foi, a sensação é de falta de propósito de tudo. Pessoas com mal de Alzheimer ou outros tipos de perda de memória intensificam mais ainda esse pensamento. Ter um gato, com quem interagir, cuidar e alimentar proporciona aos idosos um sentido para acordar no dia seguinte. Ter alguém que dependa e precise dos seus cuidados faz com que eles se sintam especiais e comecem a ter um novo senso de identidade.

Gatos possuem um efeito calmante

Os gatos, além de ser “limpadores de ambiente”, oferece conforto e baixam o nível de ansiedade. Brincar com os felinos e se relacionar com tal fofura, pode aumentar os níveis de serotonina e dopamina, que estimulam a parte do cérebro que ajuda a relaxar.

Gatos aumentam interação social

Passear por aí com um gatinho no colo desperta a atenção de muitas pessoas na rua. Alguém sempre para para mexer, passar a mão e saber sobre o bichano. Isso promove oportunidades dos idosos conhecerem novas pessoas. Dessa forma, sempre acaba ocorrendo uma interação com outras pessoas que ajuda muito na auto estima e na expectativa de vida da pessoa mais velha. Isso é muito positiivo para a saúde emocional e cognitiva.gatos e idosos

Gatos fazem com que o ambiente fique caseiro

Ter gatos e idosos juntos, faz com que a pessoa mais velha sinta que a sua casa tenha um aspecto mais família. Isso ajuda ainda muito em casas de repouso para idosos para que eles se sintam em uma atmosfera caseira. Assim, traz mais conforto para todo o ambiente e faz com que se sintam em casa.

Gatos são melhores que cachorros para idosos

Apesar de cachorros serem animais super fiéis e carinhosos, eles demandam mais atenção que os gatos. Algumas pessoas, por estarem idosas, possuem problemas de saúde que não permitem que estejam o tempo todo brincando e dando atenção para os cães. Então, os gatos se tornam melhores companhias nesse quesito, pois são menos agitados e tem hábitos de higiene mais independentes.

Gatos ajudam que os idosos continuem se desafiando

Estar idoso, muitas vezes faz com que a própria pessoa tenha que ser cuidada por outra a todo o tempo. Ter o gato como dependente dele para viver, faz com que os idosos se desafiem positivamente. A auto estima fica muito baixa a todo tempo por dependerem de algumas pessoas para fazerem certas coisas, e a partir dali, o papel se inverte e ele quem cuida do bichano. Se sente responsável e ainda “útil” na vida de alguém.

Gatos proporcionam carinho e afeto

É claro que não podia faltar o carinho e afeto que o bichano representa para o idoso. A presença constante faz que o idoso se sinta amado o tempo todo querido. Tenha contato sensorial e físico. É muito importante para todo ser humano ter uma presença que o faça se sentir querido.

Quais as raças mais adequadas para a relação gatos e idosos?

Apesar da maioria dos gatos terem características bem parecidas e tranquilas, têm algumas raças que são mais ideais para ser companhia dos idosos. Os persas, Himalia e Maine Coon são mais calmos e adoram a companhia do dono. O Abissínio e Ragdoll, apesar de serem um pouco mais ativos, também são uma boa opção.

Brinquedos para gatos

Gatos podem ser muito independentes, porém para se aproximar deles alguns brinquedos podem ajudar. Na PetLove é possível encontrar diversas opções de brinquedos com preços ótimos e você pode comprar pela internet sem sair de casa. Clique na imagem abaixo e confira.

E aí, viu como gatos e idosos só fazem bem um para o outro?

 

Read Full Article

Coelhos domésticos: Saiba aqui as vantagens e desvantagens de criar um

Você também não resiste à fofura de um coelhinho? Veja a seguir todos os cuidados e curiosidades sobre a criação de coelhos.

Os animais domésticos mais comuns que as pessoas tem são os cachorros, gatos e alguns pássaros, mas você sabia que há vários tipos de coelhos domésticos? Eles são lindos, dóceis, muito fofinhos, curiosos e gostam de carinho. Ter um coelho pode ser uma alternativa diferente de animal de estimação. Descubra a seguir suas características e saiba se é ideal para você.

Principais características dos coelhos domésticos

Há várias raças de coelhos domésticos que você pode adquirir os de pelo mais curto, de pelo mais longo, orelhas pra cima, orelhas caídas, os mais agitados ou mais calmos.

As espécies de coelhos são:

  • Lepus (lebres),
  • Sylvilagus (coelho americano),
  • Caprolagus (coelho asiático),
  • Nesolagus (coelho da Sumatra),
  • Brachylagus (coelho pigmeu),
  • Oryctolagus (coelho comum).

Os coelhos mais comuns para se ter em casa são os coelhos gigantes, coelhos médios, mini coelhos e coelhos anões.

O coelho doméstico é um animal quieto e que não faz muito barulho, ele é bastante curioso e vai gostar de explorar os cantinhos da sua casa. Não é recomendado que você deixe o seu coelho preso dentro de sua própria gaiola o tempo inteiro, não faz bem para nenhum animal ser retirado do seu habitat natural e ficar enjaulado. O coelho necessita de se exercitar, correr, cheirar os lugares, conhecer a casa onde mora, brincar e interagir com os moradores da casa. Eles adoram ganhar carinho e ficar no colo também.

Os coelhos machos são mais territorialistas que os coelhos fêmeas, então se você desejar ter dois da mesma espécie que sejam fêmeas, porque os machos vão querer disputar e marcar o território com urina o tempo inteiro. Para criar dois coelhos de sexos diferentes é necessário a esterilização de um dos dois, porque coelhos são conhecidos como reprodutores natos.

Primeiros cuidados com um coelho em casa

Ao se decidir ter um coelho em casa alguns cuidados e atenção devem ter nos primeiros dias.

Saiba que seu coelho é sim muito inteligente, com o tempo ele aprenderá a responder pelo nome, aprenderá a fazer as necessidades no local indicado e a dormir a noite, porque o coelho é naturalmente um animal noturno, com a rotina do seu dia a dia ele aprenderá a dormir a noite e ficar mais ativo de dia.

Ao adquirir um coelho saiba que terá que investir em uma gaiola para que ele tenha o seu próprio canto. Não deverá ser uma gaiola muito pequena, mas sim uma que caiba ele deitado e espichado e sentado nas patas de trás. Deve ter lugar lá dentro para usar como banheiro e no lado oposto onde ficará o seu feno.

Nos primeiros dois dias você deverá manter o seu coelho preso dentro da gaiola, sem retirá-lo para que ele se habitue a fazer suas necessidades fisiológicas lá dentro. Assim ele sentirá o próprio cheiro e fará apenas lá. Isso requer tempo e paciência. Se ele fizer xixi fora da gaiola limpe o local com detergente e sabão e após passe bastante vinagre, eles detestam esse cheiro e vão evitar fazer no mesmo lugar. Se ele defecar fora da gaiola também use o método de punição fechando-o dentro da gaiola por algumas horas.

Nunca se deve bater em um coelho, ele não entende esse método de punição. Você deve apenas bater palmas e falar NÃO, as palmas farão com que ele se assuste e preste atenção e  apalavra não com o tempo será assimilada por ele.

Vantagens e desvantagens de ter um coelho

As vantagens são muitas, é um animal dócil e muito carinhoso, lindo e fofinho, quieto e não costuma fazer bagunça na casa, não exige passeios diários como cachorros, é companheiro, gosta de estar sempre por perto, gosta de explorar a casa e são interativos também.

As desvantagens de se ter um coelhinho são poucas, se você já tiver animais de estimação como cachorro isso pode se tornar um problema, o seu coelho entenderá que o cachorro é um predador constante, porque o maior predador dos coelhos são os lobos. Assim o coelho pode acabar se tornando medroso ou agressivo.

Não são 100% dos coelhos que aprendem a fazer suas necessidades no local adequado, isso com o tempo poderá se tornar um problema para você.

Alguns coelhos também poderão criar hábitos de roer móveis de madeira e alguns fios elétricos. Isso estará mais relacionado ao fato de que você não estar dando brinquedos e materiais em que ele possa gastar seus dentes e garras, isso é uma necessidade dos coelhos domésticos.

Alimentação

A alimentação dos coelhinhos é simples, eles comem uma ração ideal para sua raça, que contém vitaminas, minerais e nutrientes necessários para manter a saúde e pelagem bonita.

A PetLove é considerada o maior petshop online do Brasil, e lá você encontra uma série de produtos para o seu coelhinho, que vão desde gaiolas, brinquedinhos, pó para banho e a ração própria para os roedores. Eles entregam para todo Brasil e possuem ótimos preços. Clique a seguir para acessar a loja e conhecer os produtos:

É necessário deixar feno à vontade dentro da gaiola, isso faz bem para seu intestino por causa das fibras. Coelhos também adoram cenoura, maçã, banana, salsa e hortelã.

Gostou da ideia de ter um coelho em casa? Conte-nos nos comentários.

Até a próxima!

Read Full Article

Como nós, nossos queridos animais de estimação podem ficar doentes, precisar de exames, cirurgias e acompanhamento médico. O mais comum é esperar que algo aconteça com o bichinho e procurar um veterinário de emergência. Geralmente nesses casos as consultas custam o olho da cara e faz uma diferença na conta bancária. Pensando nisso e nas necessidades especiais que os animais também precisam no quesito saúde, já existem vários tipos de planos de saúde animal. Em sua maioria o plano é direcionado à cães e gatos.

Esses planos se assemelham muito ao dos seres humanos no sentido de que há opções de tipos que cobrem mais opções médicas, e claramente, os valores variam conforme a escolha. A raça, porte e idade do animal também pode influenciar nos preços.

Como contratar planos de saúde animal

Antes contratar é indicado pensar se há a necessidade de contratar o plano e qual é o mais indicado para seu bichinho.

  • Lembre-se que filhotes e adultos jovens geralmente são mais saudáveis e não necessitam ir ao veterinário com frequência. Sendo indicado a visita ao médico dos animais uma vez ao ano para check-up e vacinas. A não ser, claro, se você quiser pagar para prevenir no caso de acidentes ou uma opção que cubra apenas emergência.
  • O caso mais indicado para os planos que cobrem tudo são para animais mais velhos ou que já possuem problema de saúde. Quando mais velhos, têm mais probabilidades de desenvolver doenças e a necessidade de fazer exames com mais frequência.
  • Nem todos os planos cobrem condições de doenças pré-existentes, então é preciso se informar bem.
  • Pense no que seu animal mais vai precisar e pese o que pode ficar mais caro. Por exemplo, em um plano comum as vezes vale a pena incluir que cubra procedimentos cirúrgicos, pois a cirurgia pode sair um valor bem alto sem o plano.
  • Se informe se a rede credenciada do plano de saúde oferece consultórios perto de você. No caso de emergências fica bem ruim ter que atravessar a cidade para tratar do seu bichinho.

planos de saúde animal

Tipos de planos de saúde animal

Há planos de cobertura menor e mais amplas. Conforme mais coisas contempla, mais cara é a mensalidade. É importante ver as suas condições e necessidades do animal para escolher. Esses são alguns tipos básicos conhecidos, pode mudar conforme o lugar..

  • Cobertura de emergência: é para os momentos após um acidente ou urgência. Ele abrange as contas do veterinário, hospitalização e tratamento médico. Não inclui visitas de rotinas nem cirurgias.
  • Cobertura de emergência e doenças: esse além de cobrir os casos de emergência, abrange a consultas rotineiras, cuidados médicos e raios-x no hospital de animais no caso de doenças inesperadas.
  • Cobertura de emergência, doença e para exames de rotina: o a mais desse é que abrange ferimentos acidentais, doenças súbitas, cirurgias e tratamentos de rotina (esterilização e castração, vacinação e exame físico).
  • Cobertura total: abrange basicamente todo cuidado médico que seu animal precisar. Desde exames rotineiros a cuidados dentários. Nesse plano ainda contempla as doenças crônicas.
  • Cobertura regional/estadual/nacional: nesse você tem a opção de pagar um valor para que possa ter cuidados médicos em outras cidades e estados. Nele, você pode escolher o tipo de cobertura (emergência, doenças, exames de rotina ou total).

Melhores planos de saúde animal

Esses planos contemplam apenas para atendimento de cães e gatos. É sempre necessário contatar a empresa e pedir um relatório detalhado dos benefícios que abrange cada tipo de plano.

  • Petplan (https://www.petplan.com.br/): esse plano é o primeiro seguro de saúde para pets do Brasil. Atende atualmente no município de São Paulo, Região Metropolitana da Capital, incluindo o ABC, Jundiaí e Campinas. Tem previsão de expansão no primeiro semestre de 2017 para Curitiba-PR. Oferece 3 tipos de pacotes: Ambulatorial que sai por R$83 mensais; o Completo por R$135 mensais e o Top por R$198 mensais.
  • Animed (http://www.animedonline.com.br/): esse plano funciona no estado do Rio Grande do Sul. Também possui três opções de plano: AnimedPLUS que sai R$69 mensais para cães e gatos até 20 kg e R$73 para acima de 21kg; o AnimedVIP por R$117 até 20kg e R$120 para acima; e o AnimedPRO Sênior que sai por R$132 até 20kg e R$136 para acima.
  • Vetplan (http://www.vetplan.com.br/): funciona em Ribeirão Preto e região e oferece o plano Essencial para cães e gatos a partir de R$74,90. Tem ainda o plano premium e super premium, mas que necessita de uma consulta mais detalhada para saber o preço.

 

Read Full Article

Ter animais como cães e gatos é sempre uma alegria para a casa. Eles trazem vida com suas fofuras e carinho acolhedor. Só que as vezes os bichinhos causam alguns problemas que incomodam bastante e podem deixar a relação com o animal não tão boa. A maioria dos problemas acontecem porque o tutor costuma ignorar a primeira vez que o animal perturba o ambiente. E assim, vai aceitando até a hora que se torna insuportável. É preciso sempre se lembrar de que como nós seres humanos, os animais são criados e ensinados a certas coisas. É necessário desde o primeiro problema já pensar e resolver da melhor forma para que no futuro isso não se torne um grande problema! Por isso preparamos uma lista com os principais comportamentos de cães e gatos. Confira!

Os principais problemas de comportamento dos cães

Cães por serem, em sua maioria, mais brincalhões e “bagunceiros” que os gatos, costumam apresentar mais problemas de comportamento.

Xixi em lugares indevidos

Acontece geralmente com os filhotes, que ao chegar ao novo mundo, não sabem que existe um lugar certo ou errado. É preciso ensinar o cachorrinho qual é o local correto para suas necessidades fisiológicas. Uma boa opção é manter uma alimentação regulada diariamente e levá-lo sempre nos mesmo horário no lugar. Assim, logo o cãozinho irá começar a ir sozinho.

Latir sem parar

Latir para o cachorro é como se comunicar com as palavras para nós seres humanos. Sempre que ele estiver latindo demais, algo ele quer. A maioria dos motivos são por fome, dor, frio, querendo brincar, situações de perigo etc. O importante é desde pequeno conhecer seu cachorro. Sabe como nos bebês as mães sabem exatamente qual choro é para cada coisa? Com o cachorro você também pode treinar isso. Se ele estiver latindo demais, busque antes de “xingar” ou ignorar o animal, as opções de dar comida, brincar um pouco (as vezes os cães também ficam muito ansiosos e precisam descarregar energia), verificar se não está machucado. Assim que você entender do que se trata, tudo fica mais fácil.

comportamento de cães e gatos

Pular nas pessoas

É um problema muito comum e se torna bem desagradável na hora de receber visitas. Muitos cachorros têm o costume de pular em todo mundo. Os motivos geralmente são a carência, a vontade de brincar e ter atenção. Isso se torna constante quando os donos sempre colocam o cachorro no colo quando fazem isso. Desse jeito eles entendem que sempre ao pular irão conseguir a atenção desejada. Primeira coisa é sempre separar um tempo para as brincadeiras com seu cão. Assim pode ser que diminua a necessidade do animal de buscar pela diversão. Outra solução é sempre que ele pular, esperar ele se acalmar e quando estiver no chão recompensá-lo com um agrado ou comida. Dessa forma eles começam a entender que ganharão mais atenção quando estiverem tranquilos e não pulando.

Mastigar objetos

Outro problema recorrente é quando os cachorros gostam de mastigar tudo o que vê. Acaba muitas vezes estragando objetos da casa e até pessoais. Isso acontece geralmente porque os cachorros buscam formas de se distrair sempre. Qualquer coisa mais interessante a visão dos caninos é uma opção de experimentar o novo e se divertir para sair do tédio. Uma das soluções para essa questão é evitar deixar objetos espalhados pela casa e ao alcance deles. Outra é comprar em uma loja pet objetos que são próprios para eles mastigarem.

Morder você

Quando filhotes é uma ação muito comum dos pequenos fazerem, não só para brincar mas também porque a troca de dente coça a gengiva. Porém, quando ficam grandes e continuam com esse costume, isso pode machucar as pessoas. Para evitar isso, balanceie as mordidas desde filhote. Se o seu cão já é grande, as pet shops vendem mordedores que auxiliam nisso.

Cavar buracos

Há alguns motivos para que os cães cavem buracos, principalmente nos jardins. É necessário que você perceba o motivo que está fazendo ele cavar. No caso de ser para enterrar coisas, não deixe brinquedos e ossos no local. Se for para se proteger de barulhos ou do calor, traga seu animal para dentro de casa. Se for perto da cerca ele pode estar querendo escapar, então procure deixar o local mais seguro colocando pedras ao longo da cerca.

Os principais problemas de comportamento dos gatos

Apesar de não serem tão agitados quantos os cães, os felinos também desenvolvem alguns probleminhas que podem ser solucionados de forma simples.

Fazer necessidade fora da caixinha

É o problema mais comum e que mais irrita os donos. Mas que também é, como para os cães, questão de hábito e ensino. Desde pequeno deve ser apresentado o “banheiro” para o felino. Para os gatos que ficam dentro da casa, geralmente são caixinhas que fazem o papel de vaso sanitário. Mas se o gato sempre fazia suas necessidades no local adequado e passou a mudar os hábitos só agora, é por algumas questões que você tem que tomar cuidado. Isso pode acontecer porque a caixinha dele está sem limpeza adequada. Como nós, os felinos também não gostam de fazer suas necessidades na sujeira. Então mantenha o local sempre limpo.

Arranhar móveis e pessoas

Um probleminhas que pode estragar muitos móveis e objetos da casa e de quebra irritar muito o dono do bichinho. E o pior, além dos móveis, as pessoas muitas vezes são o alvo das unhas e dentes afiados dos felinos também. Os gatos arranham para marcar território, lixar as unhas e gastar energias. É algo instintivo e natural. O que você pode fazer para evitar que o felino destrua suas coisas ou te machuque é redirecionar os locais que ele pode arranhar. Uma boa opção é comprar um arranhador e deixar perto dos móveis que ele costuma arranhar. E claro, sempre que ele começar a arranhar algum objeto ou você, pegar o arranhador e dar para ele.

Gatos agressivos

Que os gatos são animais mais esnobes, não é nenhuma novidade. Mas a versão agressiva do animal pode ser perigosa para os donos e convidados que frequentam a casa. Eles ficam assim quando não se sentem socializado no local ou com a pessoa, problemas de saúde ou por variações hormonais. Então é preciso ficar atento se isso está muito recorrente e tomar uma atitude. Existe um floral de agressividade indicado para pets que apresentam esse comportamento. O produto estimula o autocontrole e calma, promovendo uma sensação de mais leveza ao bichano.

 

Read Full Article

É a mais pura verdade que o melhor ambiente para os animais são casas grandes com quintais espaçosos. Mas nem todos têm a possibilidade de ter uma casa desse porte e alguns preferem a segurança dos prédios. Mas não se preocupe, também é possível morar em apartamento e oferecer uma boa qualidade de vida e diversão para seu bichinho. Os cuidados e hábitos se tornam diferente no ambiente menor. A necessidade de criar opções de lazer para seu animal e disponibilizar tempo para mostrar o mundo para o bicho são extremamente importantes. Também é necessário ter a noção e escolher um animal que possa se adaptar ao porte de um lugar menor.

Quais animais são mais indicados para morar em apartamentos?

Os felinos com certeza são uma das melhores opções. São animais mais preguiçosos e que se adaptam bem em lugares menores. Outra opção é escolher por cachorros de raças pequenas ou médias como: poodle, yorkshire, maltês, fox terrier, schnauzer, pinscher, dachshund etc. Pois cachorros de porte grande necessitam de mais espaço e têm mais energias para gastar. Apartamentos podem se tornar sufocantes para eles e não promover uma boa qualidade de vida. Outro ponto além da raça é pensar em qual personalidade combina mais com você. Mesmo sendo de porte pequenos ou médios, alguns cachorros tem o temperamento mais agitados e carentes. Então nesse caso você deve refletir em quanto tempo tem para se dedicar às necessidades da personalidade do seu animal. Se o tempo for pouco, opte por raças mais tranquilas e independentes.

animais de apartamento

Como cuidar de animais de apartamentos?

Há vários cuidados especiais para os animais em apartamentos. É preciso pensar pelo bicho e em suas necessidades naturais para tornar o ambiente o mais agradável e feliz possível. Também é preciso redobrar o cuidado com a saúde e higiene do animal, dando banhos e os tosando sempre, usando vermífugos e controlando as pulgas e carrapatos.

Separe um lugar para as necessidades fisiológicas

Desde do começo da vida do animal no apartamento você deve estabelecer um local adequado para que ele possa fazer o xixi e cocô. Deve-se pensar em um local que não incomode as pessoas da casa e que o cheiro não se propague com muita facilidade. Os mais ideias são: área de serviço, varanda ou banheiro dos fundos. É indicado, no caso dos cães, usar toalhas higiênicas que ajudam a reduzir odores. Para os gatos, as caixinhas com areia funcionam super bem.

Local para dormir

O ideal para o sono dos animais é sempre separar um lugar calmo e que ele se sinta seguro. Pode ser em um quartinho não utilizado da casa, área de serviço e até na sala. Ofereça sempre casinhas, caminhas e colchões para o conforto do bichano.

Sempre ofereça lazer para os animais e apartamento

Ficar em um lugar fechado sempre pode ser muito estressante para os animais. Eles precisam de distrações, ar puro e até ter contato com outros bichos (principalmente os cachorros) para terem uma vida saudável. O estresse causado pode fazer com que os bichos desenvolvam distúrbios como: baixa imunidade e doenças; comportamentos destrutivos que os fazem comer objetos e roupas; depressão e hábitos autodestrutivos como lamber as patas e redução de apetite. Como soluções:

  • Tenha em seu apartamento sempre objetos recreativos que estimulem brincadeiras divertidas. São ótimas opções: ossinhos, mordedores, brinquedos mastigáveis etc.
  • Separe uma hora diária para passear com seu animal. Esse caso é mais indicado para cachorros que sentem mais necessidade de brincar fora e ver o mundo. Gatos são mais tranquilos em relação à isso. Mas nada impede que você passeie com o felino de vez em quando também. Leve seu cão ao parque, em uma pista de caminhada, em um encontro com outros cachorros. Corra com ele, brinque, jogue objetos. Essa é a melhor forma de evitar que os animais se estressem demais, devolvam distúrbios e fiquem sedentários. Se tiver tempo livre, saía até mais vezes ao dia. Tenha certeza que vai ser a melhor parte do dia do seu bichinho!

animais de apartamento

Eduque para não atrapalhar os vizinhos

Além do espaço menor, o apartamento tem a questão dos vizinhos. Latidos ou miados muito altos e frequentes podem causar muita irritação na família do lado e criar problemas para a permanência do bicho no local. Então eduque seu animal desde pequeno com a orientação de um profissional especializado para que isso não se torne um problema.

 

Read Full Article