Skip to content

Como cuidar de cães velhos: Saiba aqui!

janeiro 6, 2016

A medicina veterinária vem evoluindo muito nos últimos anos, principalmente nos aspectos relacionados ao tratamento e ao diagnóstico de doenças. Hoje o papel do veterinário não é mais só focado na resolução de problemas, este profissional também tem fundamental importância na orientação sobre as medidas preventivas.

Neste artigo, vamos mostrar como cuidar de cães velhos e como garantir a saúde destes animais de idade mais avançada.

Como cuidar de cães velhos?

Atualmente, os cães estão vivendo muito mais tempo do que há algumas décadas tanto devido ao avanço da medicina veterinária quanto ao avanço dos produtos relacionados à nutrição e suplementação que ajudam a prevenir doenças e a prolongar a vida dos cães.

Os cães de raça pequena começam a ser considerados idosos a partir de 8 a 9 anos e os cães de raça média e grande são considerados idosos a partir de 7 a 8 anos. Saber como lidar e como cuidar da saúde e da rotina de um cão mais velho é fundamental para que este tenha qualidade de vida e para auxiliar na prevenção de doenças.

Veja, a seguir, algumas das dicas de como cuidar de cães velhos e com idade avançada:

Cuide da alimentação do seu cão:

Os cães idosos têm necessidades nutricionais diferentes dos filhotes e diferentes dos cães adultos. Compre somente rações e produtos para a alimentação do seu cão que sejam próprios para a idade dele.

Uma adequada dieta e o uso de suplementos nutricionais de qualidade são fundamentais para prevenir diversas doenças como as insuficiências hepatobiliares, as alterações renais, problemas cardiovasculares, alterações no metabolismo, além de problemas relacionados ao pelo e à pele do cão. A adequada alimentação também ajuda na prevenção de doenças como a diabetes e a obesidade.

Mantenha o fornecimento de água de forma adequada para o cão que poderá sentir mais sede, usando sempre água limpa e fresca;

Faça o adequado acompanhamento veterinário:

Os cães mais velhos precisam de uma atenção mais especial nos procedimentos de prevenção. É muito importante se fazer um exame físico completo por pelo menos duas vezes ao ano, assim como fazer as análises laboratoriais pelo menos uma vez ao ano.

Mantenha o histórico do seu cão sempre em mãos para fornecer ao seu médico veterinário. Estes pequenos procedimentos de cuidados podem fazer total diferença na qualidade de vida do cão;

Fique atento ao comportamento do cão:

Outra questão essencial é você se manter atento ao comportamento do cão, identificando possíveis problemas e ajudando a realizar qualquer tipo de tratamento de forma mais precoce possível.

Verifique se existe qualquer tipo de alteração no comportamento do cão, tais como alterações em relação ao apetite, ao nível de atividade, problemas de audição, possíveis alterações motoras e musculares, assim como quaisquer alterações no estado do pelo e da pele.

Outros sinais que devem ser verificados são sintomas como a perda de peso, presença de vômitos e problemas com diarreia, dificuldades na hora de defecar ou urinar, mau hálito, dilatação do abdômen, respiração com dificuldade ou ofegante, salivação excessiva, dificuldades para comer ou mastigar, entre muitos outros.